Home > Inovação > Você sabe o que é um “hub de inovação”?
Inovação

Você sabe o que é um “hub de inovação”?

Em 2020 a Bayer vai inaugurar o LifeHub, um ambiente com arena de palestras, estúdio de gravação e espaço para cocriação e coworking em São Paulo

16.02.2020 - Por Bayer Jovens

Imagine encontrar um ambiente propício para reunir profissionais de diversas áreas, pesquisadores, acadêmicos, empreendedores e especialistas com o objetivo de debater novas tecnologias e fomentar a inovação. Esse ambiente vai se materializar muito em breve, na sede da Bayer, em São Paulo. A multinacional alemã vai lançar a primeira unidade do LifeHub no Brasil, cuja inauguração está prevista para ocorrer em meados de 2020.

O LifeHub é uma iniciativa global de inovação da Bayer para acompanhar as transformações na sociedade e estimular criações. “O LifeHub é um espaço onde procuramos por soluções em saúde e nutrição. Esse é um conceito que já existe na Bayer há mais de dois anos, sempre próximo aos grandes spots de inovação. Atualmente, temos 8 unidades do LifeHub no mundo e identificamos que fazia muito sentido ter também um hub no Brasil, em São Paulo”, explica Fabiana Sanchez, analista de transformação digital sênior da Bayer. Fabiana, que é bacharel em química e pós-graduada em inovação, está co-liderando a implementação do LifeHub no Brasil.

Já existem duas unidades LifeHub na Califórnia e uma em Boston, nos Estados Unidos. Outros hubs estão localizados em Londres (Inglaterra), Osaka (Japão), Berlin (Alemanha), Lyon (França) e na cidade-estado Singapura. Trata-se de um espaço idealizado para conectar pessoas e ideias, com foco na difusão de conhecimento, desenvolvimento de solução inovadoras e também a geração de negócios. “Cada unidade do LifeHub tem um propósito e um modelo específico”, afirma Fabiana.

De acordo com Fabiana, em Berlin, por exemplo, a maioria das atividades do hub alemão exaltam soluções para a área de saúde e a unidade conseguiu se diferenciar no recrutamento de talentos para a Bayer. Só para se ter uma ideia da popularidade do LifeHub, a unidade em Berlin conta com 590 membros ativos e 3047 pessoas realizaram 357 workshops colaborativos em 2019. Já em Lyon, na França, o LifeHub tem se destacado por ajudar no diálogo e construção de ideias entre a indústria química e órgãos do governo francês. “O LifeHub está movimentando vários personagens, colaboradores internos, clientes, agentes de governo, associações, estudantes, outras empresas e empreendedores de startups”, afirma a analista de transformação digital sênior da Bayer.

LifeHub no Brasil

A primeira unidade brasileira será o LifeHub São Paulo, com uma robusta estrutura física que vai ocupar 1500 metros quadrados no bairro Socorro, na capital paulista. O LifeHub São Paulo será implementado por meio de cinco grandes projetos: espaço de coworking (cotrabalho), ambiente de cocriação de soluções, showroom de novas tecnologias, a arena de conhecimento e um estúdio de gravação.

De acordo com Fabiana, além de promover a inovação e a aprendizagem, o hub terá outro reflexo importante: a atração e retenção de talentos profissionais. A criação de hubs de inovação favorece os colaboradores da Bayer, que se sentem mais valorizados e estimulados a dialogar e interagir nesses hubs. “Nas cidades em que a Bayer mantém esse tipo de espaço, a empresa com certeza tem colaboradores mais engajados. O discurso das lideranças se transforma em ações, é um ambiente muito produtivo”, afirma Fabiana.

O local reservado para coworking dará passe livre aos profissionais, parceiros, fornecedores e clientes Bayer que desejam trabalhar e realizar reuniões de negócios e networking no LifeHub São Paulo. Esse ambiente terá várias estações com estrutura física adequada para o uso de computadores e salas de reuniões. “Os colaboradores de campo e representantes de vendas da Bayer de outras regiões do Brasil vão ter esse espaço aqui para poder trabalhar, fazer reuniões e se desenvolver. Queremos que eles realmente se sintam mais próximos da matriz”, diz Fabiana.

Um grande destaque do Hub é a construção da arena de palestras, cujo auditório terá capacidade para 300 pessoas. O principal objetivo da arena será difundir conhecimento para públicos internos e externos. Os ambientes chamados de Cocreation e Experience Lab vão proporcionar a experimentação, seja via uma jornada de design thinking que pode levar um grupo até uma prototipação em uma garagem de IT, até um espaço para ver um novo protótipo já em teste e experimentar suas potencialidades.

Por fim, o hub terá um amplo estúdio de gravação, com isolamento acústico e equipamentos profissionais para a gravação de áudio e vídeo, permitindo a produção de podcasts, gravação de eventos e aulas em vídeo e transmissões ao vivo nas redes sociais. “Existem várias iniciativas de inovação dentro da Bayer. O LifeHub vai conseguir reunir e dar visibilidade para todos os projetos dentro da organização”, conta Fabiana.

O LifeHub vai muito além do propósito de promover a inovação e representa também um novo paradigma dentro das empresas. Segundo Fabiana, o lançamento do LifeHub reflete e potencializa uma transformação cultural nas corporações, em que se busca ambientes menos formais e mais engajados. “Com o LifeHub, as pessoas podem esperar um lugar que representa um novo estilo de vida, para que curiosos e entusiastas da inovação possam pensar, colaborar e cocriar em times sem hierarquia”, opina Fabiana Sanchez.

Bayer Jovens