Home > Saúde > Um ano depois: tatuagens que transformaram vidas
Saúde

Um ano depois: tatuagens que transformaram vidas

Descubra como estão as mulheres que participaram do projeto Tatuagem Por Uma Vida Melhor, que tem o objetivo de devolver a autoestima a quem venceu um câncer de mama

30.10.2019 - Por Bayer Jovens

Um ano se passou desde que Claudia, Elaine e Michelle viram suas vidas transformadas por uma tatuagem. Sobreviventes do câncer de mama, o segundo tipo da doença mais comum entre mulheres no Brasil e no mundo, elas fizeram as pazes com o espelho e com o corpo depois de participarem do projeto “Uma tatuagem por uma vida melhor”.

Criado em 2014 pelo artista plástico e tatuador Miro Dantas e patrocinado pela Bayer, com apoio de Bepantol Derma, a iniciativa devolve a autoestima, a confiança e o sorriso a mulheres que venceram a doença, por meio da realização de uma tatuagem com efeito 3D que simula de forma realista o mamilo retirado na mastectomia.

Um ano depois: tatuagens que transformaram vidas

“A gente quer estar viva, todas querem estar vivas, mas o que fica vivo é o ser humano, o lado mulher vai embora. E eu fiquei praticamente um ano e dois meses sem me olhar no espelho”, conta Claudia Fernanda Lopes, uma das quase 200 mulheres que participaram do projeto de Miro. Foi somente depois da tatuagem que ela voltou a se olhar por inteira e a se sentir completa. Claudia, que ainda se emociona quando fala da experiência, diz que é essa recuperação da autoestima que vai lhe dar forças para continuar o tratamento. “O se ver no espelho é a hora em que você se fortalece”, afirma.

Elaine Aparecida Lopes também se comove ao lembrar o momento em que enfrentou o espelho, ainda no estúdio de Miro: “Minha cabeça ‘bugou’. Primeiro porque eu nunca imaginei que fosse ver meu corpo do jeito que era antes. E, em segundo lugar, porque você olha e está tudo lá. É tão perfeito que você tem a sensação de que ao tocar vai sentir o relevo, que você vai ter o bico do seu seio de volta”.

Mais do que uma simples tatuagem, para ela e para as outras participantes do projeto, o trabalho de Miro está sendo fundamental para a recuperação do amor próprio, da vida e da felicidade. Michele do Nascimento, que descobriu o câncer de mama aos 27 anos em um autoexame, ainda se surpreende com o resultado da experiência e confessa que não imaginava a grande diferença que o projeto faria em sua vida. “Eu mudei muito, eu me enxerguei mais. Porque quando você não se enxerga completa, o mundo tem uma parte mais cinza. E hoje eu me enxergo, me olho, me sinto mulher, me sinto feliz, me sinto completa”, afirma.

Miro, que desenvolveu a técnica que ajudou a transformar a vida dessas mulheres e de outras tantas que ainda passarão pelo projeto, se diz realizado com o resultado: “É exatamente isso que eu queria ver, essa mudança na vida delas. É sinal de que deu certo o projeto, deu certo o apoio, deu certo o procedimento e o meu fazer deu certo. Eu fico muito feliz com isso”.

Para quem ainda não se convenceu da importância e do impacto que o trabalho de Miro tem nessas mulheres, a própria Michele dá o conselho que daria para si mesma um ano atrás: “Faça, porque você vai ser feliz com isso, faça porque vai dar certo, faça porque você vai se reencontrar, faça porque vai lhe dar um autoconhecimento que você nunca teve na vida. Faça!”.

Assista a seguir o vídeo com os depoimentos de Miro, Claudia, Elaine e Michelle, um ano depois das tatuagens.

Mais iniciativas do bem: conheça a campanha Lenços do Agro

Além do câncer em si, é preciso cuidar também da saúde mental e emocional das pacientes. A campanha Lenços do Agro, promovida pela iniciativa Mulheres do Agronegócio, de Andrea Cordeiro, também se destina a reforçar a autoestima da mulher, que fica bastante abalada durante o tratamento e a posterior queda de cabelos. Durante a última semana de setembro e em todo o mês de outubro, empresas ligadas principalmente ao agronegócio vêm arrecadando lenços para serem doados a mulheres em tratamento.

Em 2018 foram distribuídos mais de 500 lenços, além da doação de cabelo, perucas, batons e até panetones. Em 2019, a campanha, que já conta com mais de 40 apoiadores em vários estados do Brasil, contou com mais um suporte de peso, o Congresso Nacional das Mulheres do Agro, que recebeu doações durante os dois dias do evento. Até este mês de outubro 2019, a campanha já arrecadou mais de quatro mil lenços. Para saber mais sobre o projeto e conhecer os parceiros oficiais, visite a página Missão Mulheres do Agro.