Home > Carreira > Tinham tudo para dar errado, mas…
Carreira

Tinham tudo para dar errado, mas…

Algumas ideias de negócio parecem insólitas demais para dar certo, mas o mercado é cheio de surpresas

12.06.2018 - Por Bayer Jovens

O que você faria se alguém lhe oferecesse sociedade em uma empresa dedicada ao aluguel de galinhas, para que as pessoas pudessem conviver com um animal por algum tempo e ter ovos frescos em casa? Provavelmente, você teria dúvidas e, com delicadeza, tentaria convencer a pessoa a encontrar um negócio menos inusitado. Pois saiba que já existe uma empresa assim, a Rent The Chicken, com sede em Pennsylvania e em plena atividade nos Estados Unidos e no Canadá. O cliente recebe em casa duas ou quatro galinhas adultas, já pondo ovos, mais um galinheiro portátil, ração e demais acessórios, e contrata o aluguel pelo tempo que quiser.

Negócios

Assim como a Rent The Chicken, existem vários outros negócios que, à primeira vista, parecem condenados ao fracasso, mas, contra todas as expectativas, tornaram-se casos de sucesso. Às vezes é difícil saber se são geniais ou simplesmente uma maluquice, mas o certo é que esses empreendedores esbanjam ousadia e criatividade. Tiveram a coragem de pôr em prática uma ideia original, descobriram segmentos ainda inexplorados e se tornaram exemplos inspiradores. Conheça a seguir algumas dessas empresas para lá de insólitas.

  • Santa Mail: cartas do Papai Noel
    Por 9,95 dólares, a empresa se propõe a enviar cartas personalizadas para as crianças em nome do Papai Noel. A Santa Mail fica em Austin, no estado norte-americano do Texas, e diz que é uma ajudante do Papai Noel que repassa às crianças as cartas que ele escreve no Polo Norte, como explica uma matéria da revista Época Negócios. Em seu site, a empresa afirma que já enviou mais de 500 mil cartas, o que dá uma medida do seu sucesso.

  • Litter Kwitter: gatos bem educados
     

    NegóciosCrédito: Litter Kwitter/Reprodução

    Quem tem gatos em casa sabe que é preciso criar um espaço para que eles façam suas necessidades, geralmente em uma caixa de areia, quando se trata de um apartamento. A proposta da Litter Kwitter vai além: a empresa oferece, simplesmente, um treinamento que em oito semanas promete ensinar o gato a usar a privada da casa, como se fosse uma pessoa. Com escritórios no Reino Unido, nos Estados Unidos e na Austrália, o negócio vai de vento em popa.

  • Ashley Madison: viva a infidelidade!
    Criada em 2001 nos Estados Unidos, essa rede social de namoro online tem como público-alvo pessoas comprometidas que buscam um relacionamento extraconjugal. Para se inscrever e baixar o aplicativo para iOS e Android basta entrar no site, e a partir daí é feito o contato com quem busca a mesma coisa. O slogan da empresa em português é sugestivo: “A vida é curta. Curta um caso”. De acordo com a Época Negócios, o Brasil é o segundo país com maior número de usuários, depois dos Estados Unidos.

  • Hangover Helpers: para o fim de festa
    A tradução livre do nome dessa empresa é algo como “salvadores da ressaca”, e é esse mesmo o serviço oferecido. Eles se propõem a tornar mais simples a realização de uma festa em casa, desde a organização até a “terrível tarefa de limpar tudo no dia seguinte”, como explica o site. Com escritórios em Perth e Melbourne, na Austrália, a Hangover Helpers ainda cuida do café da manhã do dia seguinte.

  • Laranjas Online: diretamente do pé
    Até agora foram citados apenas negócios fora do Brasil, mas por aqui também sobram ideia criativas, como a da advogada Alessandra Conde Sodré, cuja família cultiva laranjas há três gerações na Fazenda São Pedro, na região de Sorocaba, interior de São Paulo. Em 2012, ao perceber o desperdício de uma variedade de laranjas que não era comprada pela indústria de suco, Alessandra teve a ideia de criar a Laranjas Online, que entrega ao cliente a fruta recém-colhida, com garantia de qualidade. O sucesso se comprova nas vendas de 170 toneladas mensais.

  • Alergoshop: tudo para alérgicos
    Essa empresa também é brasileira, e tão bem-sucedida que hoje possui lojas em cinco estados e se transformou em uma franquia com atuação nacional. A Alergoshop foi criada em 1993 pela enfermeira Sarah Lazaretti, que se ressentia da falta de produtos específicos para a filha alérgica. Em sociedade com uma irmã, bióloga, Sarah começou devagar, e agora oferece um catálogo com mais de 300 itens, e a filha alérgica, Marina, é quem cuida do marketing do negócio.