Home > Dia Mundial do Meio Ambiente > Sustentabilidade na escola
Dia Mundial do Meio Ambiente

Sustentabilidade na escola

Cultivar uma horta é um bom começo, mas ser sustentável é mais do que isso. E a escola pode – e deve – estimular a garotada a ser mais consciente

08.06.2017 - Por Bayer Jovens

Quem serão os empresários, os políticos, os cientistas e os demais profissionais e líderes que no futuro tomarão decisões que vão mudar os rumos do nosso planeta? E do nosso país, de nossa cidade e até talvez de nossas vidas? Quem vai fazer a diferença daqui a alguns anos é uma garotada que hoje está na escola, aprendendo a ler e a escrever. Estudando português, matemática, física e química, entre tantas outras matérias, ou preparando-se para o Enem.

São as crianças e os jovens de hoje que farão parte da geração que vai definir o rumo do mundo, o futuro. Por isso, nada melhor do que educá-los para olhar tudo de uma forma mais respeitosa, curtir e cuidar do meio ambiente, consumir de forma consciente e ajudar o próximo. E isso pode ser ensinado, na escola e fora dela, com atitudes simples no dia a dia. Quer ver?

Livros usados – A escola pode encorajar pais e alunos a comprar, trocar ou vender livros usados para os colegas ou em sebos ou sites como o Estante Virtual, por exemplo, mostrando que nem tudo precisa ser descartado. Além de estimular o comércio local (no caso dos sebos), a prática incentiva o consumo consciente. E consumo menor significa menos agressão ao meio ambiente.

Reaproveitamento já! – Ensinar a garotada a produzir objetos funcionais a partir de garrafas pet, papelão e caixas de leite vazias, entre outros materiais, pode dar um novo rumo ao que seria enviado para o lixo e tornar as aulas de arte mais divertidas. Também é uma ótima maneira de estimular a participação dos pais nos projetos escolares e incentivar os filhos a separar o lixo reciclável em casa.

Uso consciente da água – Há maneiras simples de a escola economizar água e com isso aumentar o nível de consciência dos alunos quanto ao uso desse recurso essencial. Ao utilizar a água da chuva em sistemas de irrigação de jardins ou ainda para as descargas dos banheiros, a escola pode ampliar a discussão a respeito de responsabilidade ambiental.

Cultivo de hortas – Dá para se divertir e aprender muito ao plantar e colher alimentos. Quando cultiva uma horta, a garotada entende todo o ciclo de produção de um alimento: a escolha das sementes e os momentos certos de cada plantio, a preparação da terra e a plantação em si. Depois acompanha o crescimento de diferentes espécies e os cuidados necessários, incluindo a não utilização de agrotóxicos. Passa então para a colheita e, depois, para o armazenamento e o consumo dos produtos. Além de entender a cultura de alimentos, a criançada tem mais interesse e curiosidade em experimentar legumes e verduras, por exemplo, que normalmente rejeitariam.

Menos poluição e mais carona – A escola pode incentivar pais de alunos a criar uma dinâmica de revezamento para levar e buscar os filhos na escola. Além de estimular a socialização, a carona proporciona uma redução na circulação de carros pelas ruas e menos congestionamentos e CO2 na atmosfera.

Viu como é fácil? Se as escolas, as criança, os pais e as mães fizerem sua parte, todos caminharemos para um mundo melhor, mais justo, mais humano, mais agradável – e mais sustentável para as gerações futuras.

A Bayer é uma das empresas que investe fortemente em iniciativas com foco em sustentabilidade. Um dos programas é o Escola Verde, que promove a educação ambiental para alunos do ensino fundamental por meio de jogos e atividades lúdicas. Saiba mais sobre o projeto, que completou 10 anos em 2016 e já atendeu a cerca de 50 mil alunos e capacitou 450 professores em cursos de extensão em Belford Roxo, Duque de Caxias e São João de Meriti, no estado do Rio de Janeiro.