Home > Saúde e bem-estar > Risco nos desafios da internet
Saúde e bem-estar

Risco nos desafios da internet

Competições bizarras como ingerir cápsulas de sabão, cheirar desodorante e inalar canela em pó podem provocar intoxicações graves e até matar

19.03.2018 - Por Bayer Jovens

Comer sabão está se tornando um problema de saúde pública nos Estados Unidos. É isso mesmo, você não entendeu errado. O desafio de ingerir cápsulas de detergente líquido para lavar roupa se alastrou entre jovens norte-americanos e, nas três primeiras semanas de janeiro deste ano, a “brincadeira” intoxicou mais pessoas (86 ocorrências) do que o total de casos registrados em 2017 (53) e em 2016 (39). De acordo com dados do site da Associação Americana de Centros de Controle de Veneno (AAPCC, na sigla em inglês), de 1º de janeiro até a primeira semana de março 191 pessoas com idade entre 13 e 19 anos foram contaminadas.

Modismo

No desafio, jovens postam vídeos na internet ao mastigar as tais cápsulas, que explodem na boca e liberam o detergente. Em alguns casos, cospem o conteúdo; em outros, para tornar o sabão mais apetitoso, o adicionam à pizza, por exemplo. Porém, sempre instigam outros jovens a fazer o mesmo, sempre com os péssimos resultados facilmente previsíveis.

Quem entra na onda passa a consumir, supostamente sem ter conhecimento, ingredientes altamente tóxicos para o organismo, como etanol, peróxido de hidrogênio (água oxigenada), água sanitária e uma série de polímeros. A brincadeira irresponsável é ainda mais perigosa para as crianças, que, ao inalar ou ingerir o produto, podem aspirá-lo acidentalmente para os pulmões e sofrer os sintomas da intoxicação: vômito, diarreia, alteração da pressão sanguínea e da frequência cardíaca, perda de consciência, convulsões e, em alguns casos, dependendo da dose, até a morte. As substâncias químicas presentes no detergente também podem causar queimaduras na boca, no esôfago e no trato respiratório.

Esse, porém, é apenas um dos desafios para lá de perigosos disponíveis na internet. Há ainda o do “desodorante” (que incita a pessoa a inalar aerossol pelo maior tempo que conseguir), o “jogo da asfixia” ou do desmaio (para ver quem prende a respiração por mais tempo), o da “camisinha” (em que se coloca o preservativo pelo nariz para tirá-lo pela boca), da “canela em pó” (para ver quem consegue comer grandes quantidades do condimento puro) e por aí vai.

Desnecessário dizer que todos eles trazem gravíssimos riscos à saúde. E, pior, estão se proliferando na internet. No YouTube, principalmente, mas também no Instagram, no Snapchat e em fóruns de games online. Mesmo diante do perigo, jovens e crianças se arriscam nesses jogos insanos, com o intuito de competir e se sentirem parte do grupo.

Para a psicóloga Fernanda Grimberg, a competição é uma caraterística da sociedade. “O problema é a gravidade desses desafios. E, quando isso acontece no mundo virtual, todo mundo fica muito corajoso. As pessoas acabam sugerindo coisas que elas próprias não fazem, mas, como é no virtual, a gente fala que fez. E sempre tem alguém mais inocente que acredita e vai terminar se dando mal nessa história”, ela disse em entrevista ao portal UOL.

Você pode ajudar a tirar esse tipo de conteúdo da internet, denunciando vídeos que divulguem ou incitem a participação em desafios perigosos. Em nota, o YouTube informou que “as políticas (da plataforma) restringem conteúdos que têm a intenção de incitar violência ou encorajar atividades ilegais ou perigosas, que apresentem um risco inerente de danos físicos graves ou de morte”. E acrescentou: “Qualquer usuário pode denunciar esse tipo de conteúdo, e nossa equipe analisa essas denúncias 24 horas por dia, sete dias por semana”. Bora lá ajudar a internet a ficar mais interessante e menos perigosa e estúpida?