Home > Saúde > Quer ser mais feliz? Passe menos tempo conectado!
Saúde

Quer ser mais feliz? Passe menos tempo conectado!

Estudo mostra que a diminuição do tempo gasto em redes sociais como o Facebook, o Snapchat e o Instagram reduz sentimentos de solidão e depressão

20.03.2019 - Por Bayer Jovens

Quanto tempo você navega diariamente em suas redes sociais? Dez minutos? Uma hora? Tanto que até perdeu a conta? Cuidado, muitas horas gastas em plataformas digitais podem ter um impacto negativo em seu bem-estar, de acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos. Liderado pela psicóloga Melissa Hunt, a pesquisa mostrou que restringir o tempo nas redes sociais diminui significativamente sentimentos como a depressão e a solidão.

Para chegar a essa conclusão, Melissa e sua equipe monitoraram por três semanas as contas de Facebook, Instagram e Snapchat de 143 voluntários, estudantes da Universidade da Pensilvânia, com idade entre 18 e 22 anos. Para participar do estudo, no primeiro momento os voluntários tiveram seus perfis emocionais traçados por meio de um breve questionário, concentrado em aspectos como ansiedade, depressão, solidão e o FoMO, sigla de fear of missing out, ou medo de estar perdendo algo, em tradução livre. Em seguida, o grupo compartilhou cópias das capturas de tela de seus celulares, com o registro do tempo dedicado na semana anterior a cada um dos três aplicativos avaliados.

A partir daí, os estudantes foram divididos aleatoriamente em dois grupos: um com total acesso às redes, com permissão para utilizá-las da maneira que quisesse, e outro com o tempo restrito de 30 minutos (10 minutos em cada plataforma). Durante esse período, todos continuaram compartilhando com os pesquisadores os dados de navegação nessas redes.

Passados os 21 dias, uma nova entrevista foi feita com os participantes, com base nas mesmas questões da sondagem anterior. Ao comparar as respostas dadas antes e depois do experimento, Melissa disse ter constatado que "as pessoas do segundo grupo, que reduziram o tempo de acesso às redes, tiveram clara melhora em dois pontos referentes ao bem-estar: depressão e sensação de solidão". Segundo a psicóloga, "isso ficou ainda mais evidente quando foi observado o perfil de voluntários com quadro depressivo mais sério", como explicou em entrevista publicada no Correio Braziliense.

Apesar dos resultados obtidos, o estudo não sugere que os jovens deixem de acessar as suas redes – apesar do quão viciantes elas podem ser –, mas mostra como é positivo limitar o tempo de acesso. "Algumas publicações sobre rede social dizem que há uma enorme quantidade de comparação nesses aplicativos. Quando você olha para a vida de outras pessoas, particularmente no Instagram, é fácil concluir que a dos outros é melhor do que a sua", afirmou a psicóloga em matéria do The Daily Pennsylvanian.

De acordo com Melissa Hunt, essa é primeira vez que um estudo confirma a relação de causa e efeito entre sentimentos de solidão e o uso de redes sociais. A pesquisadora pretende ainda ampliar a investigação para outros grupos, em diferentes contextos e faixas etárias. O estudo foi divulgado recentemente no Journal of Social and Clinical Psychology.

Bayer Jovens