Home > Ciência > Melhorando Vidas > Quer saber onde levar a criançada nas férias? A Bayer te ajuda
Melhorando Vidas

Quer saber onde levar a criançada nas férias? A Bayer te ajuda

Possibilidade de aprender sobre nutrição, saúde e agricultura em atividades gratuitas, que também ressaltam a inclusão e a diversidade, no Museu Catavento

21.01.2020 - Por Bayer Jovens

Centenas de crianças estão aproveitando ao máximo o período das férias escolares, com muita diversão e aprendizado. No museu Catavento Cultural, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, localizado em São Paulo, os pequenos estão participando de atividades lúdicas e curiosas que ensinam sobre alimentação saudável, preservação da biodiversidade e agricultura. As atividades são oferecidas pela Bayer, por meio do projeto Bayer Educação para uma #VidaMelhor.

As crianças que visitarem o museu até o dia 2 de fevereiro podem participar de oficinas educativas gratuitas. São 26 vagas por oficina, com seis turmas por dia. As oficinas ocorrem às 10h, 11h, 12h, 14h, 15h e 16h. A inscrição é gratuita e por ordem de chegada, com senhas distribuídas cerca de 10 minutos antes do início de cada atividade. Quaisquer crianças com mais de 6 anos podem se inscrever nas oficinas, sem restrições. Já os pequenos com idade entre 3 e 6 anos só podem participar das atividades acompanhados por um adulto responsável.

Desde o primeiro dia da iniciativa, que teve início em 7 de janeiro, as oficinas fizeram tanto sucesso que a equipe de instrutores decidiu montar turmas extras ao longo do dia, a depender da demanda. "As crianças se empolgam e participam muito. Tivemos uma procura muito maior do que o esperado, o feedback foi muito positivo", conta Marília Tocalino, coordenadora da iniciativa Bayer Educação para uma #VidaMelhor. Ela calcula que cerca de 200 crianças participaram das oficinas no primeiro dia de evento. Após o período das férias, a iniciativa vai continuar ao longo do ano com outras atividades e formatos de eventos no local.

Inclusão e diversidade

Um grande diferencial é que todas as oficinas são ministradas por pessoas com deficiência (PCDs). São 12 instrutores com deficiência visual, auditiva ou motora. Todos eles são colaboradores da Bayer que, desde novembro de 2019, passaram por treinamento para ministrar as oficinas e idealizaram a iniciativa juntos. "O grupo de instrutores colocou a mão na massa para roteirizar as atividades e criar a estrutura das oficinas. Foi um trabalho em equipe gigantesco", conta Marília.

A iniciativa se consolida como uma forma de desenvolver as Pessoas com Deficiência, enquanto que para as crianças o evento representa uma oportunidade de ter contato com essas pessoas, derrubar mitos e preconceitos sobre os PCDs. "O grupo de instrutores é bastante diverso. Temos colaboradores de várias áreas, com idades de 18 a 55 anos e diferentes tipos de experiência. A intenção da iniciativa é que a gente consiga levar a mensagem de inclusão e diversidade para o público infanto-juvenil, junto com o aprendizado em saúde, nutrição e inovação", explica Marília.

De acordo com Aline Cintra, diretora de gestão de talentos da Bayer Brasil, a ação promove a estratégia de inclusão e diversidade da Bayer para toda a cadeia de valor. "A Bayer pode protagonizar ações inclusivas como essas atividades no Museu Catavento para tocar a sociedade. Queremos mostrar para a comunidade que o deficiente é capaz, que todos têm habilidades. Eles podem performar e entregar valor", afirma Aline. Segundo ela, a iniciativa representa o compromisso da Bayer com a responsabilidade social e cultural. "Empresas engajadas estão olhando para um mundo mais justo, com o papel de levar uma mensagem para a sociedade em conexão com o seu negócio."

A iniciativa no Museu Catavento consegue ensinar práticas sustentáveis e valorizar temas das ciências naturais em consonância com a missão da Bayer de promover a ciência para uma vida melhor, ao mesmo tempo em que também preconiza a inclusão e a diversidade. "A criança recebe o estímulo de que a sociedade é composta por diferenças, mas que essas diferenças não são fatores limitantes. Conseguimos desmistificar preconceitos com as crianças e acabamos tocando os pais delas também", afirma a diretora de gestão de talentos da Bayer.

Oficinas lúdicas

A primeira semana de atividades contou com a oficina Cuca Fértil, que apresentava lições de agricultura por meio da fabricação de um brinquedo. Enquanto aprendiam sobre como os alimentos são produzidos, as crianças fabricavam um boneco com uma cabeça que continha sementes de alpiste. Dessa forma, elas levavam o bonequinho para casa com a missão de regar e cuidar do "Cuca Fértil" e teriam uma surpresa ao ver que a planta germinaria, criando o "cabelo" do boneco.

A segunda semana da inciativa tem na programação a Corrida das Abelhas Operárias, com o objetivo de explicar para as crianças o que significa a polinização realizada pelos insetos e a relevância desse processo para o planeta. "Nesta atividade, nós fazemos uma brincadeira com as crianças que simula a polinização", conta Marília.

Entre 21/01 e 26/01, a programação continua com a lúdica oficina Exército das Frutinhas, que abre espaço para os pequenos colocarem a mão na massa – literalmente. Com ingredientes como farinha de trigo e óleo de cozinha, as crianças vão criar uma massinha caseira. Elas são orientadas a moldar a massa para criar frutinhas enquanto aprendem sobre nutrição. Desse modo, os instrutores ensinam sobre vitaminas e outros nutrientes essenciais para uma vida saudável e as crianças ainda levam as suas frutinhas de presente para casa.

Na semana de encerramento das atividades de férias, de 28/01 a 02/02, o Museu Catavento contará com a oficina Aromas, Cores e Sabores. O roteiro dessa atividade ensina sobre polinização de forma dinâmica, por meio do plantio de uma espécie de planta aromática que atrai abelhas sem ferrão. As crianças terão a oportunidade de decorar um vasinho com adesivos de flores coloridas e então plantar nele uma muda de flores ou temperos, de espécies de plantas escolhidas exatamente por serem atrativas para as abelhas. O objetivo da atividade é sensibilizar o público sobre a preservação dos polinizadores.

O Catavento Cultural, museu de Ciência e Tecnologia da Secretaria da Cultura do Governo de São Paulo, tem visitação aberta ao público com entrada gratuita sempre às terças feiras. Nos demais dias da semana, de quarta a domingo, o ingresso custa R$ 10 e tem valor de R$ 5 para a meia-entrada estudantil. A Bayer é parceira do Museu Catavento desde 2013 e desenvolve inúmeras iniciativas no local, como o patrocínio ao borboletário, jardim e atrações do espaço Mundo das Abelhas.

Bayer Jovens