Home > Mundo Agro > Novos recordes na agricultura
Mundo Agro

Novos recordes na agricultura

Relatório do IBGE projeta ótimos resultados para a produção brasileira de soja e café em 2018, com uma boa ajuda do clima

06.07.2018 - Por Bayer Jovens

Depois dos bons resultados e dos recordes obtidos pela agricultura brasileira nas duas últimas safras, a colheita de 2018 poderá ser melhor ainda para culturas importantes como soja e café. Isso é o que projeta o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do IBGE, divulgado em junho, com base nas estatísticas de maio. Isso é muito bom para o país, já que o agronegócio respondeu por 23,5% do PIB e por 44% das exportações nacionais no ano passado, e melhor ainda para os jovens que pretendem fazer carreira no campo, pois proporciona a ampliação das oportunidades de trabalho.

Novos recordes na agricultura

O destaque foi a produção de café arábica, que totalizou 2,6 milhões de toneladas, o que representa um crescimento de 24,2% em relação ao resultado de 2017, de 2,09 milhões de toneladas. “A produção de café é recorde nas séries históricas do IBGE, tanto para o arábica quanto para o conilon”, disse Carlos Barradas, gerente de coordenação de agropecuária do IBGE, em entrevista publicada no site da revista Exame. “Este ano é o de bienalidade positiva e já se esperava que o café arábica produzisse bem. E o clima tem beneficiado as lavouras. Houve recuperação importante da produção do Espírito Santo, depois de três anos de seca”, acrescentou Barradas.

O desempenho da soja também foi excepcional, com mais um recorde histórico de produção, o que fez o IBGE projetar um total de 115,7 milhões de toneladas, 0,7% a mais do que em 2017, graças principalmente ao aumento de 2,6% na área plantada. Para que se tenha uma ideia da participação da soja na agricultura brasileira, em 2018 estão sendo cultivados 34,8 milhões de hectares, o que representa mais da metade de toda a área plantada com cereais, leguminosas e oleaginosas no país. De acordo com o IBGE, somados, o arroz, o milho e a soja respondem por 92,9% da estimativa de produção e 87% da área a ser colhida.

“O Brasil caminha para ser no futuro o maior produtor de soja do mundo, e já somos o maior exportador. Nos próximos dois ou três anos a expectativa é que consigamos passar os Estados Unidos, hoje o maior produtor”, afirmou Carlos Barradas.

Além do clima favorável, outros fatores vêm colaborando para que a agricultura brasileira siga em alta, como a incorporação cada vez mais intensa de tecnologia. A necessidade de aumentar a eficiência e a produtividade também está proporcionando a abertura de vagas de trabalho mais qualificadas, com salários que podem chegar a R$ 25 mil - como você viu em matéria publicada aqui em Bayer Jovens, em maio.