Home > Acontece na Bayer > Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério
Acontece na Bayer

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

Evento reúne colaboradores e convidados para debater e refletir a respeito da importância de um ambiente corporativo diverso e inclusivo

18.10.2019 - Por Bayer Jovens

Inclusão e diversidade foi o tema abordado na Bayer em uma semana especial entre 30 de setembro e 3 de outubro. Nesses quatro dias, colaboradores de várias unidades e convidados externos trocaram experiências pessoais e corporativas relacionadas ao tema e avançaram na discussão dos caminhos que podem ser seguidos para a construção de situações e ambiente mais justos, abrangentes, inclusivos e igualitários para todas as pessoas.

Promovida na sede da Bayer no bairro do Socorro – e em outras 10 diferentes localidades -, na capital de São Paulo, a Semana de Inclusão e Diversidade teve um pouco de tudo, de palestras e painéis movimentados e dinâmicos a música, arte urbana e depoimentos surpreendentes e emocionantes, que mobilizaram os colaboradores e criaram ótimas oportunidades de reflexão. Confira a seguir um resumo dos destaques da programação de São Paulo.

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

Liderança e inclusão

Joyce Baena, CEO da agência de comunicação La Gracia, e uma das muitas convidadas dessa semana especial, conduziu o momento de abertura, destinado exclusivamente para as lideranças, destacando o papel significativo que os líderes de empresas têm como agentes de inclusão, para a promoção de um universo mais abrangente. “Pequenas atitudes criam um ambiente mais inclusivo”, afirmou em sua palestra.

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

Todas as vozes importam

Para reforçar o papel das lideranças, os Sponsors (altos executivos que são embaixadores dos grupos de afinidade Bayer) contaram como cada liderança pode sim, ter um olhar mais acurado para garantir diversidade em seus times. Erica Barbagalo, diretora jurídica e Sponsor do All In (grupo que promove a equidade de gênero), afirmou que o propósito de eventos como esse é de mostrar a todos os colaboradores que, apesar de longa, essa caminhada é essencial e deve ser sempre feita com objetivos concretos.

Além de Erica, sponsors dos outros grupos de afinidade da Bayer também participaram da Semana de I&D: Adib Jacob, CDH Pharma e líder do Enable (dedicado a pessoas com deficiência); Maurício Rodrigues, vice-presidente de Finanças, responsável pelo BayAfro (que aborda a questão racial dentro da empresa), Gerhard Bohne, líder da divisão Crop Science e responsável pelo grupo Blend e Abdalah Novaes, diretor comercial da Bayer para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina e líder do Infinite, que incentiva a interação entre diferentes gerações.

Presença internacional

Em sua primeira visita ao Brasil, Damion Jones, Head Global de Diversidade e Inclusão da Bayer, gostou do que viu e disse que ficou entusiasmado com as iniciativas da companhia no país no sentido de olhar para o outro. “Embora haja trabalho para fazer, isso é apenas um exemplo dos colegas maravilhosos que estão progredindo! Muito obrigado por incluir seu colega que não fala português.” publicou em seu Linkedin.

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

Bayer Talks

Os painéis Bayer Talks, que se realizaram durante todos os dias de evento, contaram com a participação de convidados indicados pelos grupos de afinidade da Bayer. Viviane Duarte, do Instituto Plano de Menina, e Julia Gutnik, gerente de Maketing da Amazon Prime Video foram escolhidas pelos grupos Blend e All In para mostrar a realidade de outras empresas quando o assunto é inclusão.

Convidado do grupo BayAfro, Marcelo Leal, líder de Inovação na Microsoft Brasil, trouxe seu ponto de vista a respeito da quebra de padrões e questões raciais, para tornar a inovação possível. O Infinite trouxe Abdalah Novaes, diretor comercial da divisão Crop Science da Bayer para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, para falar a respeito de mentoria reversa e a troca de conhecimento entre as gerações.

O grupo de afinidade Enable convidou João Maia, que se tornou o primeiro fotógrafo cego a registrar uma paraolimpíada. De acordo com Maia, “uma pessoa com deficiência pode fazer tudo, até ser um fotógrafo cego”. O último dia do Bayer Talks foi marcado por um momento especial, quando os grupos de afinidades convidaram líderes da organização que, conduzidos pela jornalista Karen de Souza, do Canal Futura, compartilharam casos em que quebraram paradigmas pessoas e de processo para garantir um ambiente inclusivo.

Painel dos Improváveis

Aqui, foram mostradas histórias de sucesso de profissionais que, apesar dos estereótipos e de ambientes que respondem a um padrão, desafiaram o cenário e demonstram o quanto diferentes perspectivas agregam para os cenários ou promovem soluções que atendem a todos. Entre os convidados estavam Ricardo Yuki, diretor de Gestão de Riscos do Citibank, que contou um pouco sobre como mudou cenários em sua empresa atual, ao trazer reflexões sobre novos formatos de família e como organizações podem apoiá-lo, já que é homossexual, casado e precisou considerar isso em suas decisões de carreira; Shaienne Aguiar, CEO da Mascavo Criativo, falou sobre perspectivas afrocentradas e que trazem soluções de design e comunicação mais alinhados à população brasileira, e Victoria Abdelnur, a jovem cofundadora da EuVô, um serviço de transporte por aplicativo para idosos e pessoas com mobilidade reduzida, que contou como é trabalhar para um público de uma geração totalmente diferente da sua.

Jornada da Origem

Durante o evento, nove dos 12 colaboradores que participam de um desafio proposto pela empresa para descobrir, por meio de um teste de DNA, quem eram seus ancestrais, relataram a experiência e a emoção ao descobrir as similaridades existentes entre eles. O presidente da Bayer Brasil, Marc Reichardt, também participou da experiência.

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

Comunicação não violenta

Mafoane Odara, gerente do Instituto Avon, e Liliane Sant’Anna, fundadora do Instituto CNV Brasil, participaram do painel “Uma conversa para construir pontes – Comunicação não violenta”. Mafoane destacou a importância de ter em mente que “nenhum tema é um problema; o problema é como lidamos com cada um deles”, e reforçou que “ser verdadeiro e ter empatia” são condições essenciais para uma boa comunicação.

Cases de grandes empresas

Apresentado por Fernando Cunha, Channel Enabler & Solution Expert SAP, o painel “Cases reais em prol da inclusão” contou com a presença de profissionais de empresas conceituadas, como Karina Chaves, gerente de D&I do Carrefour, que explicou o que sua empresa tem feito para desenvolver uma jornada de igualdade, considerando os desafios de ser uma rede varejista.

Gilberto Costa, vice-presidente do JP Morgan, falou dos seus esforços, em um ambiente que costuma ser elitista, para tornar o ambiente mais empático e inclusivo para as minorias todas as pessoas, e, em especial com o case relatado, profissionais negros e, muitas vezes, periféricos.

Renato Souza, gerente de Impacto Social na PricewaterhouseCoopers, contou de que maneira a empresa tem focado suas ações em colaboradores com deficiência visual, para promover a inclusão no ambiente de trabalho.

Jéssica Sherion, por sua vez, apresentou um case a respeito do investimento na contratação de duas mulheres trans no site de produção da Bayer em Belford Roxo.

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

Os muros que nos separam

A artista e ativista Elaine Almeida, do Projeto Efêmera, pintou um muro próximo ao refeitório da Bayer para que os colaboradores, em um primeiro momento, escrevessem frases, comentários ou pensamentos de discriminação que já tenham visto ou ouvido. A experiência interativa terminou com a desconstrução do muro de preconceitos, quando os colaboradores foram incentivados a substituir as frases negativas por outras de inclusão e respeito. Ao mesmo tempo, Elaine preencheu o mural com um belo grafite.

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

Ações afirmativas

Morena Mariah Couto, pesquisadora e Global Shapers do Fórum Econômico Mundial, também marcou presença na Semana de Inclusão e Diversidade da Bayer. Em sua palestra, ela lembrou que “apesar de termos a sensação de que as conquistas chegaram aqui de repente, não reparamos que os direitos que temos agora foram conquistados e batalhados por muitos anos antes de nós”.

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

Xan Ravelli, do canal Soul Vaidosa, trouxe um assunto delicado para reflexão. A youtuber comentou mensagens preconceituosas e de ódio publicadas na internet, algo corriqueiro nos dias de hoje e agravado pela falsa sensação de proteção trazida pelas redes sociais.

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

Patricia Senise, gerente de Negócios na Hand Talks; Renata Zanuto, head de Ecossistemas no Cubo Itaú, e Grazi Mendes Rangel, head de pessoas na ThoughtWorks, participaram do painel “Transformação digital, futuro e I&D? Tudo a ver!” em que discorreram sobre como a inovação e a tecnologia são utilizadas em suas empresas para tratar questões de inclusão e diversidade, e também do quanto ambientes inclusivos e diversos proporcionam soluções ainda mais inovadoras.

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

André Sevilhano, da área de marketing de Crop Science, cadeirante, e Ian Prioste, IT Workplace, um homem trans, ambos da Bayer e a dupla de mestres de cerimônia deste dia, enriqueceram a reflexão e as trocas de experiências ao contar um pouco de suas histórias de vida e dos desafios que enfrentam diariamente. Para André, a tecnologia tem sido uma grande aliada das pessoas com deficiência: “Nos ajudou bastante a conseguir entrar no mercado de trabalho”, disse. Ian falou do processo de transição pelo qual passou e alertou para o fato de que algumas empresas ainda não estão preparadas para lidar com pessoas trans, nem mesmo em coisas que parecem simples, como uma assinatura de e-mail, por exemplo. Muitas vezes, o profissional tem de usar o nome de batismo, em vez de optar pelo nome social escolhido por ele.

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

Música e inclusão

A cantora Marissol Mwaba (na foto acima) e o grupo Os Escolhidos – ela de origem congolesa e eles em situação de refúgio do Congo -, encantaram o público com suas canções durante os dias em que a Bayer reuniu pessoas de diferentes empresas e unidades, com histórias realmente boas sobre inclusão e diversidade.

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

Encerramento

Para finalizar a Semana de Inclusão e Diversidade e agradecer a participação de todos, a Bayer sorteou o kit da Jornada do DNA e livros oferecidos pelos convidados que passaram pelo evento. O time de voluntariado da Bayer se reuniu com grupos para dar dicas sobre desenvolvimento de carreira.

Os colaboradores ainda se divertiram em uma cabine de fotos e ganharam uma geleia cheia de significados produzida com abacaxi e glitter comestível, um presente especial feito por Tiago do Carmo, do Mermeleia.

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério

Na Bayer: inclusão e diversidade é assunto sério