Home > Dia Mundial do Meio Ambiente > Moradias sustentáveis
Dia Mundial do Meio Ambiente

Moradias sustentáveis

Prédios cultivam florestas a centenas de metros de altura do chão e tornam mais saudável e agradável a vida de quem mora ou trabalha nesses lugares

06.06.2017 - Por Bayer Jovens

A floresta subiu no telhado. Ou quase. Escritórios de arquitetura pelo mundo, preocupados com a questão do meio ambiente e com o bem-estar de moradores e profissionais, projetam edifícios cada vez mais sustentáveis, utilizando uma infinidade de plantas, além de painéis de energia solar e gestão consciente de recursos hídricos. Conheça alguns exemplos bem interessantes.

O maior jardim vertical do mundo – Na Colômbia, 115 mil plantas cobrem aproximadamente 3 mil m2 da fachada do edifício residencial Santalaia, no bairro de Rosales, na capital Bogotá. Construído pela Groncol em parceria com o biólogo e botânico Ignacio Solano, o imenso jardim apresenta números impressionantes: capacidade para produzir, anualmente, o oxigênio necessário para mais de 3 mil, processar cerca de 775 quilos de metais pesados, filtrar mais de 2 mil toneladas de gases nocivos e reter mais de 400 quilos de pó. Um amplo sistema de irrigação regula a quantidade de água necessária para manter o jardim verdinho e funcional.

A floresta vertical asiática – O Nanjing Green Towers, construído na China pelo escritório de arquitetura de Stefano Boeri, também tem números impactantes: suas duas torres – uma com 200 metros de altura e a outra com 108 metros – foram projetadas para absorver 25 toneladas de CO2 e produzir 60 quilos de oxigênio por dia. Como? Por meio de mais de mil árvores de 23 espécies locais, de grande e médio porte, além das 2.500 plantas em cascata. As torres terão um museu, uma escola de arquitetura verde, um clube privado e um hotel, além de restaurantes, salas de conferência e espaço para exibições de arte. Entrega prevista para 2018. Para saber mais, visite o site do arquiteto.

O residencial que cuida do meio ambiente – O Tao Zhu Yin Yuan, residencial projetado pelo arquiteto Vincent Callebaut em Taiwan, oferece em seus 42 apartamentos, distribuídos em 20 andares, uma autêntica floresta com 23 mil árvores que ajudarão a reduzir a quantidade de CO2 nos apartamentos. Painéis de energia solar na cobertura, em uma área de mais de mil m2, tornam o projeto ainda mais sustentável e festejado. A entrega está prevista para setembro deste ano. Para saber mais, visite o site do arquiteto.

O primeiro prédio comercial com energia positiva do Brasil – Localizado no número 12 da avenida Rio Branco, no Rio de Janeiro, o RB12 é o primeiro edifício corporativo do país a gerar toda a energia necessária para o seu funcionamento. Reformado pelo escritório de arquitetura Triptyque, o RB12 utiliza tecnologias que proporcionam mais conforto térmico e melhor aproveitamento da luz natural e do consumo de água. Saiba mais no site [http://www.triptyque.com/rb12] da Triptyque.

A vila sustentável na Turquia – Localizada em Antalya, no sudoeste do país, as residências do AHK KNDU Villa terá jardins coletivos, produção de energia por meio de painéis solares e luz natural em todos os cômodos. Vãos entre os tetos irregulares ajudam a ventilar a casa e reduzem a necessidade de ar-condicionado. Para saber mais, visite o site da GAD Architecture.