Home > Ciência > Moléculas orgânicas em Marte
Ciência

Moléculas orgânicas em Marte

NASA anuncia que o jipe Curiosity descobriu compostos orgânicos que podem indicar que o planeta já abrigou seres vivos

13.07.2018 - Por Bayer Jovens

A NASA descobriu mais um indício de que, no passado, o planeta Marte já abrigou seres vivos. Publicado na revista Science em junho, o estudo da agência espacial norte-americana informa que os instrumentos instalados no jipe Curiosity detectaram traços de compostos orgânicos complexos, preservados por 3 bilhões de anos, que têm semelhança com rochas sedimentares ricas em nutrientes encontradas na Terra.

A presença desses compostos não prova definitivamente que Marte já abrigou seres vivos, mas é um sinal de que isso pode ter acontecido, além de representar o que os pesquisadores chamam de “pista química”, que ajuda a compreender melhor as características do planeta. “Ampliamos nossa busca por compostos orgânicos, o que é fundamental na busca pela vida", disse à CNN Paul Mahaffy, um dos autores do estudo e diretor da Divisão de Exploração de Sistemas Solares do Centro de Voos Espaciais Goddard, da NASA.

O veículo espacial Curiosity em ação na superfície de Marte/Divulgação NASAO veículo espacial Curiosity em ação na superfície de Marte/Divulgação NASA

De acordo com os cientistas, as moléculas orgânicas contêm carbono e hidrogênio, e também podem conter traços de nitrogênio e outros elementos. A matéria orgânica marciana tanto pode ser um registro de vida antiga e uma fonte de alimento de seres vivos como algo que não significa, necessariamente, a presença de vida como a conhecemos.

O encontro dos compostos orgânicos na cratera Gale foi mais uma das várias façanhas do Curiosity, veículo espacial lançado em novembro de 2011, que pousou em Marte em agosto de 2012. Desde então, o jipe, que tem o tamanho aproximado de um carro médio, já havia feito descobertas importantes, como o registro de oscilações na concentração de metano na superfície marciana, em 2014, conforme relata matéria publicada no site do Estadão. Depois, o Curiosity confirmou, pela primeira vez, a existência de compostos orgânicos ricos em carbono em amostras de rochas, assim como a presença de moléculas orgânicas em meteoritos originário de Marte.

“Com essa nova descoberta, a missão em Marte está nos dizendo para manter o curso e continuar procurando evidências de vida. Estou confiante de que nossas missões contínuas e planejadas irão proporcionar outras descobertas de tirar o fôlego”, disse Thomas Zurbuchen, da diretoria de missões científicas da NASA. “Há sinais de vida em Marte? Nós não sabemos com certeza, mas esses últimos resultados mostram que estamos no caminho certo para encontrá-los”, acrescentou Michael Meyer, cientista-chefe do programa de exploração de Marte da NASA.

Publicado em Ciência