Home > Ciência > Inspirado por baratas
Ciência

Inspirado por baratas

Pesquisadores se inspiram nas baratas para desenvolver robô capaz de entrar em buracos minúsculos e aguentar altos impactos

04.04.2016 - Por Bayer Jovens

Que as baratas vão dominar o mundo, isso a gente já sabe. Então, por que não aproveitar suas incríveis habilidades para desenvolver um robô capaz de percorrer os lugares mais inóspitos e de difícil acesso? Foi exatamente isso que fizeram os cientistas Kaushik Jayaram e Robert Full, da Universidade da Califórnia.

Em um artigo publicado na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências, Full e Jayaram mostram como uma barata é capaz de espremer o corpo em espaços apertados e se manter em movimento. Graças ao exoesqueleto dividido em grandes placas duras conectadas umas às outras por tecidos moles, elas conseguem continuar andando. Quando pressionadas, as placas se abrem junto ao chão, mas não se quebram.

O robô e a barataO robô e a barata: semelhanças importantes

Para testar a notável flexibilidade das baratas, os dois cientistas conduziram uma série de experimentos, que envolveram comprimir os insetos em túneis mais apertados do que o próprio corpo – aplicando pressão equivalente ao peso de 900 baratas no meio das costas – e observar como os bichinhos reagiam a isso.

Full e Jayaram observaram que as baratas conseguem se espremer por buracos da espessura de uma moeda de 25 centavos. Além disso, elas continuam a se mover rapidamente, mesmo que estejam sob uma pressão equivalente a 300 vezes o próprio peso. Quando estão paradas, um peso 800 vezes maior que o próprio corpo não faz nem cosquinha. Mesmo ficando mais achatadas do que um DVD, elas se ajeitam, voltam a andar e a voar, como se nada tivesse acontecido.

Os pesquisadores, então, se inspiraram nessa maleabilidade e desenvolveram um robô com um exoesqueleto capaz de ser compactado a menos de metade da sua altura. O compressible robot with articulated mechanisms (CRAM) é formado por várias placas dobráveis e pode ser muito útil para explorar escombros e outros locais de difícil acesso, como frestas no chão após um terremoto ou deslizamento de terra.

Essa iniciativa é uma tendência em robótica. Muitos pesquisadores e empresas têm investido em projetos de robôs maleáveis. A Soft Robótica e Empire Robotics já vendem garras macias, que facilitam a manipulação de objetos por robôs.

Bayer Jovens