Home > Saúde > HPTEC: o que é preciso saber
Saúde

HPTEC: o que é preciso saber

A hipertensão pulmonar tromboembólica crônica é uma doença grave e potencialmente fatal. Descubra mais sobre ela e como ajudar os pacientes nesta condição.

17.12.2019 - Por Bayer Jovens

Na definição mais simples, hipertensão pulmonar (HP) é o nome dado ao aumento da pressão sanguínea na artéria pulmonar. A partir daí tudo se torna complexo, a começar pela causa e pelo diagnóstico. O termo se refere não a uma única doença, mas a um grupo de patologias caracterizadas pelo estreitamento das artérias que levam o sangue do coração aos pulmões, cujas causas ainda não estão totalmente esclarecidas. Essa condição leva a aumento da sobrecarga e dilatação do coração, que se esforça mais para bombear sangue.

Trata-se de uma doença grave e potencialmente fatal que, no mundo, de acordo com a Associação Brasileira de Amigos e Familiares de Portadores de Hipertensão Arterial Pulmonar (Abraf), atinge mais de 25 milhões de pessoas. É mais comum em adultos jovens e mulheres, mas pode acometer pessoas de diferentes idades, gênero ou etnia. Os primeiros sintomas podem demorar a aparecer e, como são comuns a outras doenças, o diagnóstico se torna complicado.

Entre os sintomas estão: falta de ar durante atividades rotineiras, fadiga, tontura, episódios de desmaio, desconforto na respiração, pulso acelerado, dor no peito, inchaço nos tornozelos, no abdome ou nas pernas e coloração azulada nos lábios e na pele. Depois de diagnosticada, e dependendo da gravidade, a hipertensão pulmonar pode ser tratada com medicamentos que retardam sua progressão e reduzem os sintomas e, em alguns casos, com cirurgia.

Um dos cinco tipos da doença é a hipertensão pulmonar tromboembólica crônica (HPTEC). O termo “tromboembólica” indica a ocorrência de bloqueio de um vaso sanguíneo, que pode surgir inicialmente a partir de um coágulo de sangue, e “crônica” se refere a um problema que dura por um longo prazo ou de forma constante. O tratamento mais comum de HPTEC é uma cirurgia chamada endarterectomia pulmonar, para a retirada do trombo que dificulta a passagem do sangue nas artérias pulmonares. O problema é que cerca de 40% das pessoas com a doença não são eletivas para essa cirurgia, seja pela localização do coágulo, seja pelo agravamento do quadro.

Os pacientes não elegíveis à cirurgia podem ser tratados com um medicamento e aprovado no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Esse tratamento, de acordo com a bula, estimula uma enzima específica e dilata os vasos sanguíneos, buscando facilitar o processo para que o coração possa bombear o sangue através dos pulmões. No entanto, ainda não está disponível na rede pública de saúde.

Atualmente, os pacientes que podem fazer uso desse medicamento têm depositado suas esperanças na consulta pública aberta pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) para decidir pela inclusão ou não do tratamento na rede pública de saúde. Podem participar da consulta médicos, pesquisadores, pacientes e todos os demais cidadãos brasileiros e, com base no material apresentado, o medicamento poderá ser disponibilizado gratuitamente no SUS para todos os pacientes de HPTEC.

Se você quer contribuir com a consulta pública aberta pela CONITEC, acesse http://conitec.gov.br/consultas-publicas, e dê a sua opinião.

Para oferecer apoio personalizado às pessoas que já estão sendo medicadas com esse tratamento disponível, a Bayer criou o Programa Superar, que orienta e fornece informações a respeito do uso adequado e contribui para melhorar a qualidade de vida dos pacientes e familiares durante o tratamento. Para saber como fazer o cadastro e receber o material do Superar, clique aqui . E leia esta matéria publicada aqui em Bayer Jovens , que tem mais detalhes a respeito da hipertensão pulmonar.

Bayer Jovens