Home > Inovação no campo > FutureCom antecipa o amanhã
Inovação no campo

FutureCom antecipa o amanhã

Evento atraiu mais de 30 mil participantes para a discussão das tecnologias inovadoras e disruptivas que constroem a sociedade do futuro, e a Bayer esteve presente

07.11.2019 - Por Bayer Jovens

Durante quatro dias, entre 28 e 31 de outubro, o FutureCom 2019 transformou a cidade de São Paulo na capital das mudanças digitais e no ponto de encontro das tecnologias inovadoras que estão criando a sociedade do futuro. Mais de 30 mil visitantes participaram dessa 21ª edição do evento, que ofereceu quatro arenas de conteúdo livre, cerca de 100 palestras e 60 painéis de debates e recebeu mais de 250 marcas expositoras, em uma área de 25 mil m2. Para quem se dedica à inovação, foi uma rara oportunidade de network, troca de experiências, consolidação de parcerias e geração de negócios.

Entre os macrotemas, o FutureCom discutiu as novas soluções de conectividade, as tecnologias de ruptura digital e a digitalização generalizada de produtos e serviços. As questões foram divididas por áreas como Future Tech, Future Cyber, Future Gov, Future Payment e Future Jud, com a abordagem de cases de IoT, inteligência artificial, machine learning e outras tecnologias disruptivas que estão mudando as formas de relacionamento pessoal e empresarial e as estratégias de negócios em todo o mundo.

Pela primeira vez o FutureCom abriu espaço para discutir inovação no agronegócio, e a Bayer, evidentemente, não poderia ficar de fora. A empresa levou ao evento algumas de suas soluções inovadoras, como a plataforma Climate FieldView e a parceria ConectarAGRO.

Um dos destaques foi o painel “Agricultura 4.0: impactos e desafios na digitalização no campo”, do qual participou Mateus Barros, líder de negócios da Climate FieldView para a América Latina, ao lado de Gustavo Junqueira, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo; Marcus Vinicius Cardoso, gerente executivo de TI da Tereos, e José Humberto Teodoro, CEO da Terra Santa Agro.

Mediado pelo jornalista Rui Maciel, editor sênior de conteúdo do Canaltech, o painel tratou de conectividade no campo, agricultura digital e dos produtos que já estão ao alcance dos agricultores e pecuaristas. O secretário de Agricultura disse que o problema principal não é a falta de conhecimento do produtor nem a oferta de ferramentas, e sim a carência de conectividade. “Você pode ter muita informação da sua fazenda e não conseguir conectar isso aos seus parceiros”, explicou Junqueira.

Mateus Barros, da Bayer, lembrou que realmente as tecnologias estão disponíveis e que hoje há um potencial de conectar milhões de máquinas: “Há 10 anos você não tinha essa necessidade, mas hoje sim. Se não existe conectividade, mas há demanda, iniciativas como o ConectarAGRO mostram que outros setores estão de olho nisso. Temos bons exemplos de empresas que ofertam tecnologias digitais no Brasil, e as startups precisam trazer essas soluções. Todo o segmento está atento a essa necessidade”. Mateus também disse que a internet das coisas já é uma realidade no agronegócio: “Com a Climate FieldView nós conseguimos usar várias máquinas e mandar as informações para a nuvem, o que adiciona muito valor ao campo”.

Agora, confira algumas das soluções apresentadas pela Bayer no FutureCom, amplamente utilizadas pelos produtores rurais no Brasil e no mundo, e conheça o ConectarAGRO.

  • Climate FieldView
    A plataforma agrícola digital da Bayer coleta e processa dados de campo de maneira simples e contínua e gera mapas e relatórios em tempo real, acessíveis em dispositivos móveis, tablets ou computadores, com informações em diferentes momentos dos processos de plantio, pulverização e colheita. Dessa forma, o produtor gerencia suas operações com mais eficiência e aumenta a produtividade. Lançada no Brasil em maio de 2017, a Climate FieldView já chegou a mais de 5 milhões de hectares pagos e, no mundo, superou os 24 milhões de hectares.

    Utilizada nas culturas de soja, milho, algodão, feijão e cereais de inverno, a ferramenta é compatível com máquinas de plantio, pulverização e colheita e equipamentos de marcas como Case IH, Massey Ferguson, New Holland, Valtra, John Deere e Stara e com empresas como Valtra, Tatu/Marchesan, Baldan, KF, Pro Solus e Jumil.
  • ConectarAGRO
    Esta é uma iniciativa colaborativa inédita, criada para oferecer aos produtores brasileiros uma solução de conectividade aberta, simples e acessível. Reúne oito empresas que são referência nas áreas de agronegócio e telecomunicações: AGCO, CNH Industrial, Jacto, Nokia, Solinftec, TIM, Trimble e Bayer (com a plataforma Climate FieldView). Essas companhias participaram de painéis e debates e mostraram suas soluções no estande do ConectarAGRO no Futurecom.

    A parceria entre essas empresas surgiu a partir de contatos feitos na edição anterior do evento, até que em abril deste ano nasceu o ConectarAGRO, com o objetivo de universalizar o acesso à internet nas áreas rurais, utilizando a rede 4G na faixa de 700MHz. O próximo passo será a criação de uma associação civil sem fins lucrativos, que também trabalhará para fomentar políticas públicas de conectividade para o setor, além de favorecer o surgimento de novas soluções para o agronegócio por meio das várias agtechs que atuam nesse ecossistema. Hoje, o ConectarAgro já registra 1,6 milhão de hectares conectados no país.