Home > Saúde > Fortaleça sua saúde em todas as estações do ano
Saúde

Fortaleça sua saúde em todas as estações do ano

Saiba como as vitaminas e minerais ajudam a proteger seu sistema imunológico e organismo, tornando sua saúde mais forte.

08.04.2019 - Por Bayer Jovens

Vírus, bactérias, fungos e outros agentes causadores de doenças estão por toda parte, esperando um descuido – na verdade, um sistema imunológico fragilizado – para se instalar e “fazer a festa”. E, enquanto “se divertem”, esses microrganismos provocam uma série de enfermidades, uma mais perigosa e incômoda do que a outra, que podem provocar mal-estar, febre, coriza, dor no corpo, alergias e outros sintomas desagradáveis. Estresse físico e mental, poluição, falta de exercícios físicos regulares e alimentação desequilibrada são alguns dos fatores que podem afetar sua imunidade e fragilizar seu organismo.

Uma das maneiras de evitar esses problemas é a ingestão equilibrada de algumas vitaminas e sais minerais capazes de fortalecer o sistema imunológico, que é um conjunto de órgãos, tecidos e células responsáveis por combater os microrganismos invasores impedindo, assim, o desenvolvimento de doenças. Essa proteção extra é importante principalmente nas estações mais frias e secas, como costumam ser o outono e o inverno. A seguir, conheça três desses nutrientes indispensáveis.

Vitamina C

Entre outros benefícios, fortalece a imunidade. Aparece em grande quantidade na acerola (1,5 g de vitamina C em 100 g do alimento), no caju (258 mg em 100 g), no pimentão amarelo (190 mg em 100 g), na tangerina (112 mg em 100 g), na couve (103 mg em 100 g), na goiaba branca (98 mg em 100 g) e no brócolis (89 mg em 100 g). Em menores proporções, está presente também no kiwi, no abacaxi, na laranja, no limão, na tangerina, no maracujá, no morango, no tomate e na manga.

Poderoso aliado da saúde, o ácido ascórbico (nome científico da vitamina C) é um excelente antioxidante, que atua no combate aos radicais livres, moléculas que aceleram o processo de envelhecimento celular. A vitamina C auxilia na produção de glóbulos brancos, nossas células de defesa, e aumenta a produção de colágeno (o que beneficia a cicatrização dos tecidos e o crescimento dos ossos), melhora a absorção de ferro e inibe a formação de nitrosaminas, um composto presente em embutidos que, de acordo com testes realizados em animais, é um agente cancerígeno.

Estudos mostram que a concentração de vitamina C no sangue, por meio do consumo de frutas e vegetais, ajuda a reduzir o risco de doenças cardiovasculares e de morte precoce. A vitamina C também pode ser uma aliada na prevenção do enfisema pulmonar e da catarata.

A necessidade média diária de vitamina C é de 75 mg para mulheres e 90 mg para homens saudáveis. Quem tem um cardápio repleto de frutas, verduras e legumes não precisa se preocupar em atingir os níveis ideais. “Indivíduos que possuem uma dieta balanceada normalmente não têm carência dessa vitamina”, explicou Fausto Nakandakari, otorrinolaringologista do hospital Sírio-Libanês, em entrevista ao portal VivaBem.

Vitamina D

Importante para a saúde do sistema ósseo e para a prevenção da osteoporose, a vitamina D regula o fornecimento de cálcio e fósforo ao organismo e atua também nos intestinos e nos rins. Estudos mostram que a carência da vitamina D está relacionada a um risco maior de desenvolvimento de doenças crônicas, como problemas cardiovasculares, tumores e enfermidades imunológicas e infecciosas.

Pode ser absorvida, principalmente, por meio da exposição solar – os raios ultravioletas estimulam a produção da vitamina na pele. O ideal, segundo afirma o médico Drauzio Varella em seu site, é “expor braços e pernas ao sol durante 5 a 30 minutos (a pele escura sintetiza com mais dificuldade), duas vezes por semana, ou apanhar sol no corpo inteiro a cada dois ou três meses, por tempo suficiente para deixar a pele um pouco mais pigmentada”. Com essa rotina, que deve ser feita sem o uso de protetor solar e outras barreiras como roupas e vidros de janelas, o corpo é capaz de produzir 90% da vitamina D de que necessita. O restante vem de alimentos como sardinha, salmão, camarão, creme de leite, manteiga, ovos e queijos.

Zinco

Esse mineral desempenha papel importante na saúde geral do organismo. É indispensável para a síntese de proteínas, a reprodução e o funcionamento normal do sistema imune. Na reprodução, o mineral é necessário para a ovulação, a produção e a maturação do esperma e a fertilização. A carência do nutriente pode levar a quadros de impotência nos homens e diminuição do desejo sexual em mulheres.

No processo digestório, o zinco auxilia na produção de ácido clorídrico, presente no suco gástrico, além de atuar na formação de várias enzimas envolvidas na digestão dos alimentos. Sua deficiência pode, além de prejudicar a digestão, diminuir a percepção do gosto e, por conta disso, reduzir o apetite, o que leva a uma alimentação desequilibrada e a uma série de problemas de saúde devido à carência de minerais e vitaminas.

O zinco é também um componente essencial para as funções cognitivas. A falta do mineral pode ocasionar distúrbios de atenção, como redução da memória e da concentração e convulsões. Durante a gravidez, a infância e a adolescência, o mineral é importante para o crescimento e o desenvolvimento do organismo. O zinco contribui ainda para a saúde dos ossos, cabelos, unhas, pele e visão.

Os principais alimentos ricos em zinco são ostras, carnes de boi, de frango e de peixe, fígado, grão de bico, ervilha, lentilha, feijão, castanha de caju, amêndoas, gergelim e cereais integrais como arroz e aveia.

Publicado em Saúde
Bayer Jovens