Home > Dia Mundial do Meio Ambiente > Economia no dia a dia
Dia Mundial do Meio Ambiente

Economia no dia a dia

Qual é o tamanho de sua pegada ecológica e o que você faz para melhorar sua vida e tornar o planeta mais sustentável?

07.06.2017 - Por Bayer Jovens

Sustentabilidade, biodiversidade, ecodesign, reciclagem, reúso, química verde, arquitetura bioclimática, créditos de carbono, pegada ecológica: cada vez com mais intensidade, termos como esses deixam de pertencer apenas ao vocabulário técnico e se incorporam à linguagem do dia a dia de muita gente, e isso é ótimo. Significa que as pessoas estão pensando mais na fragilidade do planeta e no impacto das ações humanas na natureza e preocupando-se com seu papel nesse processo.

O conceito de desenvolvimento sustentável, por exemplo, é esclarecedor. De acordo com a Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento da ONU, representa a maneira de harmonizar o crescimento econômico com a preservação ambiental. Em outras palavras, é o desenvolvimento que atende às necessidades atuais e, ao mesmo tempo, assegura os recursos indispensáveis às futuras gerações.

Trata-se de um trabalho colossal, que requer a participação de países, governos, empresas, instituições e de toda a sociedade em iniciativas de grande impacto, como o Acordo de Paris, assinado por representantes de 195 nações com o objetivo de limitar a emissão de gases do efeito estufa e frear o aquecimento global.

Individualmente, a participação de cada um de nós nesse esforço envolve mudança de hábitos e, sobretudo, a consciência do impacto que pequenas ações podem ter no equilíbrio do planeta. Por exemplo, você já parou para pensar no tamanho de sua pegada ecológica? Ou seja, na quantidade de água, energia e alimento que consome diariamente, no meio de transporte que utiliza, nas compras que faz e no lixo que descarta – em resumo, na quantidade de recursos naturais necessários para manter seu estilo de vida.

É a economia do dia a dia, uma nova visão a respeito de nossas atitudes, do impacto que provocam e de como tudo pode melhorar quando esse tema passa a ser discutido de maneira objetiva. Dados da Sabesp mostram, por exemplo, que em média cada paulistano consome diariamente 200 litros de água, o que é excessivo. Há muito desperdício, e não é difícil economizar. O mesmo ocorre com a energia elétrica.

Em relação aos alimentos, muita gente ingere mais comida do que precisa, e fora isso também há muito desperdício. Excessos semelhantes ocorrem nos hábitos de consumo, já que um grande número de pessoas compra mais do que realmente precisa.

Cada um desses pequenos atos do dia a dia – tomar um banho prolongado, deixar luzes acesas desnecessariamente, comer demais ou jogar comida fora e comprar roupas, sapatos e eletrônicos em excesso – exige um grande volume de recursos naturais, quando se pensa no total de habitantes do planeta. Economia no dia a dia significa, portanto, a consciência do impacto que causamos diariamente ao meio ambiente e a percepção de nossa responsabilidade individual.

O melhor de tudo é que ao mudar um pouco a rotina de consumo percebemos benefícios diretos, a começar pela economia que aos poucos será sentida no bolso. Sem falar nos ganhos que serão proporcionados a nossa saúde e à do planeta.

Caso queira conhecer um glossário de termos relacionados à sustentabilidade, clique aqui. E saiba que é possível calcular os rastros que você deixa no planeta: basta entrar na página Pegada Ecológica e revelar seus hábitos de consumo.