Home > Ciência > Melhorando Vidas > 5 dicas para cuidar melhor dos bebês durante o inverno
Melhorando Vidas

5 dicas para cuidar melhor dos bebês durante o inverno

Condições de temperatura e umidade da estação fria impactam na saúde e até mesmo na rotina do uso das fraldas.

26.07.2020 - Por Bayer Jovens

O frio e as condições de baixa umidade que marcam o inverno podem prejudicar a rotina dos bebês. Na primeira fase da vida, os bebês são indefesos e não conseguem comunicar verbalmente alguns desconfortos. No entanto, sintomas comuns da estação alertam os tutores sobre problemas de pele e doenças respiratórias. Basta ficar mais atento e redobrar os cuidados para amenizar incômodos e proteger a saúde do bebê durante o inverno. Confira seis recomendações essenciais para essa estação.

1 - Cuidados com a pele

A pele do bebê é muito delicada e tende a sofrer com inflamações ou infecções especialmente na região do bumbum e das pernas, pois pode haver contato com resíduos de fezes e urina presentes na fralda. Esse ambiente quente e úmido favorece a irritação da epiderme, provocando eventuais assaduras.

Como o bebê transpira menos durante o inverno, é comum que ele faça mais xixi , o que pode aumentar o risco das assaduras, caracterizadas por erupção cutânea vermelha e dolorida , ocasionando fissuras e descamação . Por isso, para prevenir a inflamação, vale a pena reforçar o uso de pomada protetora, como Bepantol® Baby. Trata-se de um creme com fórmula pura que restaura a pele do bebê de dentro para fora e previne assaduras.

“A escolha de um antiassaduras com formulação adequada é extremamente importante. Um estudo in vitro1 demonstrou que pomadas a base de dexpantenol e que não contém óxido de zinco, por exemplo, auxiliam na reparação cutânea e formam uma barreira protetora que não craquela, ou seja, não permite que a urina infiltre através das pequenas rachaduras que surgem, deixando a pele úmida”, afirma a dermatologista Juliana Canosa.

2 - Nutrição

É recomendável o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida. O leite materno nutre e favorece a imunidade do bebê, prevenindo infecções. A qualidade do leite dependerá da alimentação da mãe, que deve manter uma dieta saudável e balanceada, consumindo diariamente cinco pequenas porções de frutas, legumes e verduras, além de incluir na dieta os grãos integrais, feijões e sementes. Leia mais: a dieta das gestantes deve durar 1.100 dias.

Para os bebês com mais de seis meses, os pais podem oferecer papinhas, sempre verificando se a temperatura está adequada ao paladar da criança. Outro cuidado é fornecer uma boa quantidade de água diariamente. A água é fundamental para a hidratação do corpo e beneficia a saúde da pele.

3 - Evite o frio

Os bebês estão em fase de desenvolvimento, criando anticorpos. Por isso, as condições de temperatura afetam a saúde deles. Fique atento às roupas e escolha peças com tecidos de algodão, para evitar alergias. O ideal é proteger o bebê em “camadas”, como escolher body e um conjunto de roupas por cima.

Proteja a cabeça do neném com touquinhas ou gorros durante todo o inverno. Também é importante usar meias e luvas. Durante a noite, jamais cubra o bebê com mantas ou cobertores, pois representam risco de sufocamento. Se o tempo estiver muito frio, use aquecedores (com uma boa distância do berço) e sacos de dormir indicados para bebês.

4 - Rotina de higiene

Durante o inverno, a higiene deve ser cuidadosa. Reduza o tempo dedicado aos banhos e não eleve a temperatura da água para compensar o frio. Aplique sabonete basicamente nas “dobrinhas” de pele e partes íntimas, pois, reduzir o uso de sabonete evita o ressecamento da pele da criança. Escolha produtos neutros, dermatologicamente testados e recomendados para bebês.

Intensifique a limpeza da casa. Elimine a poeira e mantenha o ambiente bem-arejado. Reduza a quantidade de bichinhos de pelúcia e tapetes, visto que acumulam pó. Limpeza e ventilação evitam a propagação de ácaros e microrganismos causadores de alergias e síndromes respiratórias.

5 - Doenças respiratórias

Durante o inverno, gripes e resfriados são mais frequentes. No entanto, há doenças graves que exigem atenção, como a pneumonia. De acordo com a Unicef, a pneumonia é uma doença grave que vitimou mais de 800 mil crianças em 2018 e não é prevenida como deveria. “A maioria dos falecimentos afeta crianças de menos de dois anos, incluindo 153 mil em seu primeiro mês de vida“, alertou a Unicef em comunicado.

A bronquite é outro exemplo popular que descreve quadros de asma, com sintomas como tosse e falta de ar. Para prevenir problemas respiratórios, é necessário manter a vacinação da criança em dia, cuidar bem da higiene e da alimentação. Outra dica é fazer a lavagem nasal, que pode ajudar a prevenir infecções respiratórias e traz alívio em casos de obstrução nasal.

1- JMC Consulting – Flexing in-vitro study bayer0003 – Oct 2018.

Bayer Jovens