Home > Saúde e bem-estar > Dia Mundial de Prevenção da Gravidez não Planejada: o que você precisa saber
Saúde e bem-estar

Dia Mundial de Prevenção da Gravidez não Planejada: o que você precisa saber

A maioria dos jovens brasileiros ainda faz sexo sem cuidados preventivos

28.09.2018 - Por Bayer Jovens

Durante uma relação sexual, os jovens brasileiros têm dois receios principais: a gravidez não planejada e as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Mesmo assim, a maioria admite que não adota medidas preventivas para evitar essas duas ocorrências, de acordo com várias pesquisas feitas nos últimos anos.

Dia Mundial de Prevenção da Gravidez não Planejada: o que você precisa saber

Um estudo de 2012 da Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz, por exemplo, constatou que nada menos do que 55% dos nascimentos que ocorrem no país não foram planejados, uma porcentagem bem acima da média mundial, de 40%. Em 2015, segundo o Ministério da Saúde, mais de 39 mil homens foram diagnosticados com sífilis e 22,4 mil foram infectados com o vírus da AIDS, o que corresponde a mais do que o dobro do número de mulheres infectadas com o HIV no mesmo período. Essa estatística evidencia a falta de prevenção e a baixa adesão ao preservativo masculino.

Números como esses justificam a preocupação das autoridades de saúde em relação à gravidez não planejada e destacam a importância do World Contraception Day (WCD), comemorado globalmente em 26 de setembro. A celebração é batizada localmente como Dia Mundial de Prevenção da Gravidez não Planejada. Patrocinado pela Bayer em mais de 70 países e apoiado por uma coligação de 16 ONGs internacionais e entidades médicas e científicas, o WCD tem o objetivo de promover a educação sexual, a conscientização sobre a contracepção moderna, a prevenção de DSTs e reduzir os altos índices de gravidez não planejada em todo o planeta.

Buscando compreender melhor como os homens se comportam em relação a esse tema, a Bayer, em 2017, com o apoio do Departamento de Ginecologia da Escola Paulista de Medicina da UNIFESP, ouviu 2.000 homens de 15 a 25 anos em de 10 capitais brasileiras (Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo) e constatou que, embora 72% deles acreditem que a responsabilidade de evitar uma gravidez não planejada seja do casal, a maioria não toma as medidas preventivas necessárias para impedir uma gravidez ou DSTs; ao mesmo tempo, o levantamento mostrou que 55% dos brasileiros tiveram sua primeira relação sexual entre 13 e 16 anos e que suas duas maiores preocupações durante o ato sexual foram a gravidez (31%) e as DSTs (34%).

O nascimento de um filho é um acontecimento único e maravilhoso, mas na hora certa, de livre escolha e com planejamento. A gravidez não planejada de adolescentes é um problema de saúde pública que acomete jovens do mundo todo.

Para saber mais sobre o assunto e conhecer os métodos contraceptivos, acesse o site.