Home > Saúde e bem-estar > Como ser feliz
Saúde e bem-estar

Como ser feliz

Já ouviu falar em psicologia positiva? Professor de Harvard faz sucesso com o que define como “a ciência da felicidade”

06.07.2018 - Por Bayer Jovens

Em 2004, quando o israelense Tal Ben-Shahar abriu as matrículas para seu primeiro curso na Universidade Harvard, em Cambridge, nos Estados Unidos, apenas oito alunos se inscreveram. Hoje, a cada ano, mais de mil estudantes de graduação disputam as vagas do que se tornou o programa mais popular de uma das mais renomadas instituições de ensino do mundo, e o motivo é o que o professor se propõe a ensinar: como ser mais feliz.

Como ser feliz

Ben-Shahar se tornou um fenômeno mundial, simplesmente porque utiliza conhecimentos da psicologia para mostrar como as pessoas podem buscar a realização pessoal. Em uma entrevista que concedeu à revista Você S/A, ele disse que criou o curso porque se sentia infeliz: “No meu segundo ano de estudante em Harvard, quando cursava ciência da computação, eu era bem-sucedido, pois tinha boas notas e tempo para atividades que me davam prazer, como jogar squash. Mesmo assim era infeliz. Para entender por que, mudei de área e fui cursar filosofia e psicologia. Meu objetivo era responder a duas perguntas: por que estou triste? E como posso ficar feliz? Estudar isso me ajudou, e decidi compartilhar o que aprendi”, explicou.

Para isso, além do curso, Ben-Shahar publicou o best-seller Being Happy, ainda sem tradução em português. Ele também produziu vários vídeos, e um deles, que pode ser visto aqui, com legenda em português, explica a “teoria dos quatro hambúrgueres”.

Segundo o professor, de 48 anos, sucesso e dinheiro não trazem felicidade, necessariamente, e só proporcionam “faíscas de alegria”. Veja a seguir seis de suas receitas de felicidade, selecionadas em matéria do jornal El País.

  • Aceite seus fracassos
    É impossível viver sem emoções negativas, afirma Ben-Shahar, e é preciso aceitá-las. Todo ser humano tem o direito de errar e deve aprender a perdoar suas fraquezas, que fazem parte da vida e são tão naturais como a felicidade e o bem-estar.

  • As coisas boas não são garantidas e é preciso ser grato por elas
    “Essa mania de achar que as coisas boas são um direito nosso e sempre estarão por aí não é nada realista”, lembra Ben-Shahar. Ou seja, o oposto também pode acontece - as coisas negativas. Portanto, curta muito quando tudo dá certo e aproveite os momento positivos, que podem não se repetir.

  • Exercite-se sempre
    Não se trata de se transformar em um viciado em academia nem exigir do corpo o que ele não está preparado para oferecer. O que Ben-Shahar diz é que não dá para ter saúde e ser feliz sem algum tipo de exercício físico. Pode ser uma caminhada a passos rápidos, meia hora por dia, ou duas ou três sessões semanais de natação, para que o cérebro libere endorfinas e produza sensações prazerosas.

  • Simplifique
    Em geral, nossa tendência é antecipar problemas e complicar tudo na vida e no trabalho. “Precisamos identificar o que é verdadeiramente importante e nos concentrar nisso”, sugere Ben-Shahar, adepto da ideia de que o mais inteligente é cuidar de uma coisa de cada vez, sem pressão excessiva, conscientes de nosso potencial mas também de nossas limitações.

  • Medite
    A meditação é um dos hábitos mais simples do mundo e tem a capacidade de reduzir o estresse e orientar os nossos pensamentos para o lado positivo. Trata-se, basicamente, de induzir a mente a entrar em um estado de paz, de descanso, apenas interrompendo o fluxo dos pensamento por alguns minutos, algumas vezes por dia.

  • Busque o que realmente importa
    Dinheiro e sucesso ajudam bastante, mas não representam tudo na vida e não podem ser o único objetivo. A felicidade está mais perto de um estado mental do que do saldo bancário. “Nosso nível de felicidade vai determinar aquilo ao qual nos apegamos e a força do sucesso ou do fracasso”, diz Ben-Shahar, que destaca a importância da resiliência, a capacidade de enfrentar situações difíceis e dar a volta por cima.

Tudo parece bastante óbvio e, provavelmente, você já ouviu esses conselhos. Mas as ideias difundidas por Ben-Shahar se apoiam justamente na simplicidade. Na entrevista à Você S/A, ele diz: “O que realmente interfere na felicidade é o tempo que passamos com pessoas que são importantes para nós, como amigos e familiares — mas só se você estiver por inteiro, não adianta ficar no celular quando está com quem você ama. Hoje, muita gente prioriza o trabalho em vez dos relacionamentos, e isso aumenta a infelicidade”.