Home > Saúde > Como cuidar da pele no inverno
Saúde

Como cuidar da pele no inverno

Estação fria que começa em 21 de junho reduz a umidade do ar e deixa a pele mais ressecada, o que requer atenção especial

19.06.2019 - Por Bayer Jovens

O inverno começa às 12h54 de 21 de junho, o dia mais curto do ano, que marca o início do período mais frio no Hemisfério Sul, quando a umidade do ar se reduz bastante. E isso não é nada bom para a nossa pele, que fica mais seca e perde parte de sua oleosidade natural pela diminuição da transpiração e também por causa dos banhos quentes indispensáveis nessa estação. Portanto, é hora de pensar em caprichar na hidratação e em outros cuidados básicos.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), além de manter a pele sempre bem hidratada, convém adotar uma alimentação mais saudável, rica em vitaminas, minerais e oxidantes. O cardápio ideal do inverno deve ser farto em verduras, legumes como brócolis, cenoura e repolho e frutas como laranja, morango, limão e cereja, ricas em vitamina C, que previne o envelhecimento da pele. Também é recomendável a ingestão de castanhas, nozes e amêndoas, que contêm vitamina E, selênio e antioxidantes, que ajudam a manter a saúde da pele.

A SBD também alerta para a necessidade de não reduzir o consumo de água, o que muitas pessoas costumam fazer no inverno, quando a sede diminui naturalmente. De acordo com a entidade que representa os dermatologistas, isso é “um erro brutal”, pois a água é indispensável para manter a hidratação da pele e do organismo em geral. Em último caso, a água pode ser substituída por sucos naturais e chás claros ou de frutas.

Para que a pele não fique ressecada e desidratada, a SBD dá outras dicas, além da manutenção do consumo de água:

  • Evitar banhos muito quentes e demorados e não se ensaboar demais nem usar buchas, que ajudam a alterar a composição do manto hidrolipídico, o hidrante natural produzido pelo organismo para proteger a pele.
  • Quem tem pele oleosa e sujeita a acne deve evitar o uso de hidratante comum no rosto e no tórax e, em vez disso, aplicar um produto livre de óleo.
  • Usar o hidrante logo depois de sair do box, ainda no banheiro, para que o vapor que fica no ar ajude o creme a penetrar na pele.
  • Passar hidrante também nos lábios, que costumam ressecar no inverno.
  • Usar filtro solar diariamente.

Além de adotar esses cuidados básicos, é igualmente importante ficar atento às doenças dermatológicas comuns no inverno, como a dermatite seborreica, uma descamação da pele que ocorre principalmente na face e no couro cabeludo e pode provocar coceira, caspa e oleosidade.

A dermatite atópica também é identificada pela coceira que provoca e pode resultar em lesões cutâneas no rosto, no tronco, nos braços e nas pernas, especialmente nas dobras da pele. Outra doença comum nos meses frios é a psoríase, de causa ainda desconhecida e que atinge, principalmente, homens e mulheres entre 20 e 40 anos. Ao sinal de qualquer um desses problemas de pele, é preciso evitar a automedicação e marcar logo uma consulta com o dermatologista, para que o mal não se agrave.

Assim, com alimentação adequada, muita água, hidratação diária e atenção redobrada para as doenças cutâneas, é possível evitar os danos que o inverno pode causar à pele e aproveitar o que os meses frios têm de melhor.

Publicado em Saúde
Bayer Jovens