Home > Ciência > Melhorando Vidas > Braille inspira inovações de alta tecnologia e ações educativas
Melhorando Vidas

Braille inspira inovações de alta tecnologia e ações educativas

Em quase dois séculos de história, o sistema tátil criado pelo francês Louis Braille continua atual e cada vez mais moderno, sendo celebrado especialmente no Dia Mundial do Braille, em 4 de janeiro.

02.01.2020 - Por Bayer Jovens

Novas tecnologias estão surpreendendo o mercado e facilitando a rotina das Pessoas com Deficiência (PCDs). Um exemplo disso é a impressora Fast Braille, uma máquina inovadora capaz de reproduzir arquivos de texto e até comandos de voz em Braille. A criadora dessa tecnologia é uma estudante brasileira de engenharia de apenas 19 anos, que foi vice-campeã do Prêmio Jovem Cientista 2019.

E o que dizer dos dispositivos móveis? Eles estão cada vez mais acessíveis. Foi lançado o primeiro smartwatch do mundo em Braille, chamado de Dot Watch. Com design premiado, o equipamento que foi desenvolvido na Coreia do Sul, funciona como qualquer outro relógio inteligente, conectado ao celular via Bluetooth. O Dot Watch apresenta notificações de mensagens, ligações, informações de agenda e muito mais, tudo isso exibido por meio de pequenos pontos em relevo que se movimentam na tela.

Já existe também um impressionante tablet que consegue converter textos e gráficos visualizados na internet em Braille. Chamado de Blitab, esse dispositivo revolucionário apresenta um sistema com uma espécie de “líquido inteligente”, que forma pequenas bolhas para criar a linguagem em relevo, em tempo real.

Celebrando o Braille

Além de representarem dispositivos de alta tecnologia, o que essas notícias têm em comum? A valorização do Braille, o sistema de escrita tátil que revolucionou a forma de comunicação e aprendizado para cegos. Utilizando seis pontos em relevo, a linguagem tátil consegue representar todos os símbolos alfabéticos, números e até mesmo símbolos musicais, matemáticos e científicos, permitindo a alfabetização, a leitura e a escrita das pessoas com deficiência visual.

Quando o professor francês Louis Braille publicou o seu método exclusivo de leitura, em 1829, provavelmente ele não imaginou que a sua criação iria chegar tão longe, tornando-se uma sólida base para inovações. Um sistema de tamanha importância merece ser celebrado, especialmente em 4 de janeiro, data em que se comemora o Dia Mundial do Braille. É preciso destacar a importância do Braille, que continua atual e cada vez mais moderno por meio do advento de novas tecnologias.

As inúmeras possibilidades de digitalização do Braille representam um enorme avanço para democratizar o acesso à informação, por meio da inclusão de cegos e pessoas de baixa visão. Porém, não menos importante, o Braille continua fazendo sucesso em sua versão tradicional, no bom e velho papel. Boa parte dessa representatividade do modelo impresso se deve ao trabalho da Fundação Dorina Nowill para Cegos, uma instituição que é referência em educação. A fundação produz e distribui gratuitamente milhares de livros em Braille, atuando também no desenvolvimento de soluções em acessibilidade, para empresas e órgãos públicos.

A Bayer é uma empresa apoiadora da Fundação Dorina, colaborando com a difusão de livros em Braille e, assim como a instituição, reconhece a importância da linguagem tátil para a promoção de ações inclusivas. “Toda criança, que nasce cega ou perde a visão na primeira infância, deveria ter garantido o direto de ser alfabetizada e de ter acesso a livros didáticos em Braile. Ele é o único sistema natural de leitura e escrita que permite a representação do alfabeto, além de números e simbologias científica, fonética, musicografia e informática”, afirmou a coordenadora de revisão em Braile da Fundação Dorina, Regina de Oliveira, em comunicado no site da instituição.

Avanços para a inclusão

A cada dia surgem novidades em todo o mundo, para que o Braille conquiste cada vez mais espaço e possa promover a acessibilidade. Em dezembro do ano passado, em uma decisão histórica, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) aprovou a confecção de carteiras da ordem em Braille. Dessa forma, os advogados com deficiência visual receberão uma identificação inclusiva nos cartões da OAB. Outras notícias curiosas também colaboram para a inclusão de cegos, como por exemplo, o lançamento do Lego Braille Bricks, uma releitura do famoso brinquedo em blocos de montar com foco no ensino em Braille. A Fundação Dorina colaborou com o desenvolvimento desse brinquedo inclusivo, que visa proporcionar alfabetização e lazer para as crianças cegas.

Vale a pena citar também que até mesmo o popular jogo de cartas Uno já está disponível em versão Braille. Outra iniciativa interessante é a lei 673/19, sancionada no Estado de São Paulo, que autoriza a instalação de placas com cardápios em Braille, em restaurantes e demais estabelecimentos paulistas que comercializam alimentos. O incentivo à inclusão também foi pauta recente no Estado de Pernambuco, por meio da aprovação da lei 16.604/19, que garante aos alunos com deficiência visual o direito de receber o diploma em Braille, com emissão gratuita em quaisquer instituições de ensino públicas ou privadas.

A Bayer destaca o papel crucial do Braille na vida das pessoas com deficiência visual e apoia iniciativas em favor desta causa. A empresa investe continuamente no desenvolvimento de um ambiente diverso e inclusivo, proporcionando aos seus colaboradores com deficiência as condições de igualdade e respeito, para derrubar barreiras e valorizar as suas carreiras profissionais.