Home > Saúde e bem-estar > Os cuidados que o verão exige
Saúde e bem-estar

Os cuidados que o verão exige

Os dias quentes voltaram e é hora de redobrar a atenção sobre a saúde de seu pet. Saiba como protegê-lo.

28.12.2016 - Por Bayer Jovens

O verão está aí e você deve estar morrendo de vontade de viajar, curtir o calor, refrescar-se numa água gelada e sentir a brisa fresca de fim de tarde. Mas, antes de arrumar as malas e aproveitar as férias, é preciso tomar alguns cuidados com a sua saúde e a de seu pet. Afinal, ninguém quer perder a delícia dos dias quentes de janeiro porque não se preveniu adequadamente contra alguns infortúnios, não é mesmo? Então, mãos à obra!

O primeiro mandamento é: vacine seu animal de estimação. O verão é uma época propícia para a proliferação de pulgas, carrapatos e moscas transmissoras de doenças, então não vale lembrar que essas coisas existem apenas quando os sintomas de contaminação começam a aparecer. O melhor remédio é sempre a prevenção. Como alguns medicamentos têm tratamentos de longa duração, ou mesmo substâncias fortes que não devem ser tomadas em quantidades excessivas, consulte sempre um especialista em busca de orientação.

Esses bichinhos, que normalmente afetam a pele dos animais, gerando coceiras e ferimentos, podem arrumar problemas muito mais sérios. As pulgas, por exemplo, são transmissoras de tênia, um verme que provoca irritação anal, diarreia com muco e sangue e, em quadros mais avançados, crises de convulsões. Já os carrapatos são vetores de contaminação da erliquiose e babesiose, doenças cujo parasita compromete seriamente o sistema imunológico dos animais contaminados.

A vacinação também é fundamental para proteger seu pet contra a dirofilariose, doença em que o parasita instala-se no sistema circulatório e nas artérias pulmonares do animal infectado, podendo levar à sua morte. Já é o suficiente para mostrar como é importante manter seu animal devidamente vacinado, não?

Seguindo em frente, lembra-se daquele hit dos anos 90 que perguntava se você havia bebido água mineral? Pois bem, é hora de pegar esse conhecimento oculto e aplicar aos hábitos de seu pet, porque o segundo mandamento é: hidratá-lo sob todas as circunstâncias. Além disso, tente mantê-lo em lugares frescos e com sombra. Essas duas medidas impedem a desidratação natural que ocorre nos dias quentes e uma possível queda de sua pressão arterial (sim, ele também sofre desse mal!).

O terceiro mandamento é dedicado aos cães: trate-os como se fossem bebês. Oi? Isso mesmo. No verão, os passeios ao ar livre são mais constantes. Por isso, a atenção deve ser redobrada. É indicado caminhar com seu colega canino antes das nove da manhã, quando a incidência de sol é menor. A alta temperatura, além de desidratar o animal, pode causar queimaduras nos coxins – aquelas almofadinhas em suas patas. E, se o seu animalzinho tiver orelhas e focinho despigmentados, lembre-se de aplicar protetor solar para prevenir contra o câncer de pele.

Agora, se vai viajar e pretende levar seu pet junto com você, cuidados simples minimizam os inconvenientes. Se seu destino for uma praia, mantenha seu animal longe da água do mar e da areia. Além de ser mais educado com o resto dos banhistas, evitará mofo, fungos e dermatites. Mas, se não houve jeito e o bichinho teimoso resolveu dar seu mergulho, o melhor é que depois você o banhe sem sabonete ou xampu, produtos que podem retirar a oleosidade da pele e comprometer sua proteção natural.

No entanto, se você é alguém que prefere campos, sítios e fazendas, é hora de montar seu arsenal de repelentes. Nesses ambientes, os animais ficam mais expostos a moscas e seus ovos, que podem originar bernes ou outros tipos de infecções.

Mas certos cuidados podem ser tomados já em casa e são tão úteis quanto os indicados acima. Por exemplo, banhos e tosas regulares são medidas eficazes para evitar pulgas e carrapatos, assim como limpar e higienizar regularmente o local que habitam – casas e caminhas. Mesmo que seja irresistível brincar com seu animal na água, não se esqueça de proteger suas orelhas para não causar dores de ouvido, e de secar bem seu pelo, o que irá diminuir as chances do surgimento de doenças de pele.

Não acaba por aí. Não se esqueça de fazer uma checagem na volta para casa. Assim, eventuais contaminações poderão ser combatidas rapidamente. Agora, sim. Pode fechar a mala e levar seu animal a tiracolo.