Home > Plural > Embaixadores Ambientais 2013
Plural

Embaixadores Ambientais 2013

Reciclagem, preservação de nascentes e lagoas e consultoria jurídica foram algumas das boas ideias desta edição

19.09.2013 - Por Diversidade

Foram mais de 100 projetos inscritos por estudantes do Brasil inteiro. Em comum, criatividade, originalidade e, acima de tudo, idealismo e desejo de tornar o mundo melhor. Aliás, não só desejo, mas atitudes concretas para isso. Oito jovens participantes de iniciativas socioambientais foram os vencedores da 10ª edição do Programa Bayer Jovens Embaixadores Ambientais, promovido mundialmente pela empresa alemã, em parceria com o Pnuma (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente).

Veja quem são os vencedores de 2013 e a classificação que eles obtiveram na premiação. Para conhecer em mais detalhes cada um dos projetos é só clicar no nome do estudante:

 

Posição Nome Premiação em dinheiro
1º colocado Felipe dos Santos Machado R$ 20 mil

Eco Fun

O projeto Eco Fun foi criado em 2010 com o intuito de promover um processo eficiente, viável e inovador para reciclagem de tubos usados de pasta de dente. Com as bisnagas vazias, são confeccionadas tábuas ecológicas para diversas aplicações, desde a construção de paredes até bancos e brinquedos para praças sustentáveis, além de possibilitar o trabalho em educação ambiental com crianças. Todo o empreendimento foi idealizado pelo estudante de 19 anos, do curso de Engenharia de Produção da Universidade FEEVALE, de Novo Hamburgo/RS. Ele mesmo realiza os testes de resistência e durabilidade das tábuas para que possam ser utilizadas, além de determinar os parâmetros de fabricação e certificação de qualidade. Para a produção do material, conta com a doação de tempo em máquinas de uma empresa voluntária em Novo Hamburgo.

2º colocado Dionatan Gerber R$ 15 mil

Recuperação de nascentes em áreas degradadas

Acelerar o processo de recuperação de nascentes em áreas degradadas é o objetivo do projeto do Dionatan, 19 anos, estudante de Engenharia Florestal da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Para a recuperação, são utilizadas técnicas de nucleação como transposição de galharias, transposição de solo, chuva de sementes e poleiros artificiais. Essas técnicas são extremamente baratas e, além de acelerar a restauração da área, aumentam a biodiversidade vegetal e, consequentemente, animal no sistema onde são aplicadas. O projeto também prevê a avaliação de espécies nativas que se desenvolvem mais rápido para auxiliar na recuperação. São avaliados o desenvolvimento em altura e diâmetro dos espécimes, os índices de sobrevivência e de mortalidade e a vazão de água da nascente. A pesquisa foi realizada em duas propriedades rurais, localizadas nos municípios catarinenses de Rio do Sul e Salete.

3º colocado Lucas Castro da Silva R$ 12 mil

Tijolo solo-cimento de resíduos de murumuru

Lucas, 20 anos, integra um grupo de pesquisa da Universidade Católica Dom Bosco, de Campo Grande/MS, que desenvolveu um tijolo ecológico com resíduos da casca de murumuru em sua composição. O fruto do murumuru, árvore da região amazônica, é utilizado como matéria-prima na produção de cosméticos. Sua casca, porém, era descartada nos leitos dos rios. O projeto avalia a viabilidade técnica da inclusão do resíduo na produção dos tijolos. Os testes indicaram que as peças produzidas se encaixam às normas estabelecidas no país. A expectativa é que a técnica, que necessita de baixo investimento, seja repassada às populações das áreas de extração do murumuru como uma opção de nova fonte de renda.

4º colocada Maiara Pilar Palmeira da Silva R$ 10 mil

Projeto Semear

Restaurar áreas em zonas urbanas, a partir da compreensão da dinâmica da floresta é um dos objetivos do Semear e da estudante Maiara, 21 anos. Com foco na conservação da Bacia do Rio Sorocaba e do Médio Tietê, o projeto utiliza a semente e a muda florestal como fator gerador de processos ecológicos, sociais e políticos, a partir do monitoramento e mapeamento de áreas e da criação de um corredor de biodiversidade em um complexo industrial em Sorocaba/SP. Também desenvolve pesquisas para manter a qualidade das sementes e mudas empregadas no projeto, o que permite a geração de renda para pequenos produtores locais que lucram com a venda direta e com a criação de acessórios e objetos de decoração. São três os pilares de atuação: atenção especial ao reflorestamento e seus desdobramentos; aplicação de metodologias de aceleração de processos que permitam a criação de uma floresta em apenas dez anos - quando o usual é 20 anos; e o acompanhamento constante da região em busca de parcerias que engajem população, produtores e empresas locais.

5º colocada Kelmira Ferreira dos Santos R$ 7 mil

Ideias Sustentáveis

Junto com seus colegas de classe do curso técnico em Meio Ambiente, Kelmira, 21 anos, criou o projeto Ideias Sustentáveis, com o objetivo de difundir conceitos de sustentabilidade para a população de Laranjal do Jari/AP. O município tem graves problemas com resíduos sólidos e não possui coleta seletiva, o que torna esse trabalho de conscientização mais importante e desafiador. Os estudantes realizam oficinas para a criação de subprodutos (bolsas, pufes, brinquedos, luminárias etc.) a partir dos resíduos sólidos urbanos, usando como matéria-prima fundamental a garrafa PET. Além disso, promovem educação ambiental em escolas da rede municipal, ministrando oficinas e palestras. Em 2014, o projeto prevê a construção de uma casa sustentável.

6º colocado Daniel Fernandes Ribeiro R$ 5 mil

Movimento Lagoa Limpa

O Movimento Lagoa Limpa, liderado por Daniel, 22 anos, tem como objetivo promover a educação ambiental e despertar na população da Região dos Lagos, no norte do Rio de Janeiro, o interesse pela preservação da Lagoa de Araruama - praias, mangues e ilhas. O movimento organiza ações periódicas e convoca voluntários para a limpeza da lagoa. Durante esses encontros, incentiva a prática de esportes náuticos como caiaque,stand up e canoa havaiana, entre outros. As ações reúnem participantes de diferentes faixas etárias e de diversos locais da região e são divulgadas em mídias sociais, rádios, TVs, entrevistas e palestras.

7º colocada Jeanne de Paula Martins R$ 4 mil

Green Law

A estudante de Direito, Jeanne Martins, 22 anos, fundou o projeto Green Law ao constatar a falta de informação da população da cidade de Engenheiro Paulo de Frontin/RJ sobre questões ambientais. O projeto atua em diferentes frentes. A primeira é a consultoria jurídica para assuntos ambientais. Várias pessoas buscam informações sobre temas como queimadas, cortes de árvores, RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural), conciliação e vizinhança, descarte de lixo, reflorestamento, preservação e educação ambiental. é prestada consultoria, com explicações detalhadas, amparo legal, procedimentos a serem tomados e encaminhamento aos órgãos competentes. Outra abordagem é dada por meio de palestras e eventos em escolas públicas, onde se discute a importância da reciclagem e do descarte do lixo, em especial o lixo eletrônico, queimadas e crimes ambientais que são notícia na região.

8º colocado Ricardo Castro de Aquino R$ 3 mil

Filtro automotivo separador de poluentes

Os automóveis são responsáveis pela geração de boa parte da poluição atmosférica, em especial os veículos antigos e os movidos a diesel. Preocupado com isso, Ricardo, 21 anos, criou um filtro retentor de fuligem. Em testes realizados em ônibus do Distrito Federal, o dispositivo foi capaz de reter até 86% da fuligem que seria lançada no ar. Outro diferencial do filtro é seu valor acessível - a produção custa em torno de R$ 45 -, além da fácil manutenção. Desde 2011, segundo o estudante, cerca de 250 filtros foram instalados na frota do sistema de transporte público de Brasília. Cada um deles coletou, em média, 1,2 kg de fuligem por semana.

Para saber a classificação geral e a nota final de todos os projetos válidos participantes do concurso em 2013, clique aqui.

O processo de seleção obedeceu a rigorosos critérios de triagem e avaliação. No primeiro momento, todos os projetos foram lidos e analisados se estavam de acordo com o regulamento. Os 86 projetos válidos foram distribuídos para a avaliação da Comissão Julgadora, formada por seis profissionais de reconhecida atuação na área socioambiental, além de dois profissionais da Bayer especializados nos assunto. Os oito primeiros colocados passaram ainda por teste de inglês para verificar o grau de conhecimento no idioma, conforme exigência para a viagem internacional.

A partir do resultado desse teste, quatro deles foram selecionados para participar de intercâmbio de uma semana em Leverkusen, cidade sede da Bayer, na Alemanha. São eles: Felipe dos Santos Machado, Maiara Pilar Palmeira da Silva, Daniel Fernandes Ribeiro e Jeanne de Paula Martins. Na Alemanha, eles terão oportunidade conhecer as modernas instalações da matriz da Bayer, além de trocar experiências com os vencedores de outros 18 países da América Latina, ásia e áfrica.

Os outros quatro vencedores conhecerão um destino ecológico no Brasil, onde terão a chance de vivenciar boas práticas na área de sustentabilidade e ter um contato direto com o meio ambiente. São eles: Dionatan Gerber, Lucas Castro da Silva, Kelmira Ferreira dos Santos e Ricardo de Castro Aquino.

O Programa Bayer Jovens Embaixadores Ambientais é realizado desde 1998 e já premiou cerca de 500 jovens de 18 países. A Bayer foi a primeira empresa a fazer uma parceria mundial de longo prazo com o Pnuma na área da juventude e do meio ambiente.

Pelo segundo ano, os estudantes puderam promover uma votação no Facebook para ampliar a nota de seu projeto na classificação final. Após se inscrever no Programa, o candidato foi convidado a acessar a página do Bayer Jovens no Facebook e a cadastrar seu projeto, com descritivo e imagens. Os dez mais "curtidos" nessa página receberam pontos extras que fizeram a diferença na nomeação dos vencedores.

Saiba mais sobre o Programa Bayer Jovens Embaixadores Ambientais:

Conheça o avanço do Bayer Jovens Embaixadores Ambientais ao longo dos anos

Bayer e Pnuma: parceiras para a juventude e o meio ambiente