dcsimg
Home > Sexualidade > Sexo também pode ser doloroso pros homens
Sexualidade

Sexo também pode ser doloroso pros homens

Descubra os seis principais motivos – que eles costumam esconder

16.05.2018 - Por Nathalia Ziemkiewicz

Homem não falha. Homem não chora. Homem não geme de prazer. Homem não sente dor – muito menos no sexo, em que se deve provar definitivamente a virilidade. Homem não confessa. Homem resolve sozinho seus problemas. Esses clichês não são “apenas” mentira, bobagem e fruto da nossa sociedade machista. Eles podem ter consequências sérias para a saúde física e psicológica, além da qualidade de vida.

Os consultórios médicos, os levantamentos e as pesquisas científicas realmente apontam que as mulheres experimentam com mais frequência desconforto/dor nas relações sexuais – condição chamada dispareunia. Mas isso não quer dizer que os homens são feitos de aço. Da mesma forma que brocham ou ejaculam antes do que gostariam, também podem arrepiar de agonia entre quatro paredes.

Aqui vão as principais razões:

  1. Fimose e freio curto

    Homens com fimose não conseguem expor a glande do pênis porque aquela pele que a recobre (prepúcio) não tem abertura suficiente. Ou o problema pode ser um “freio” curto, quando é possível descer a pele, mas ela fica tensionada a ponto de curvar a glande durante a ereção. Nos dois casos, a fricção da penetração pode provocar inchaço, irritação e até sangramento. É comum que o urologista indique uma cirurgia simples.

  2. Pênis (muito) torto

    Pênis não costumam ser totalmente retilíneos: entortam um pouco pra cima, pra baixo, pros lados... Mas curvaturas além de 30 graus podem ser resultado de uma série de fraturas – inclusive imperceptíveis. Na Doença de Peyronie, o homem sente dor na ereção e a curvatura às vezes impossibilita a penetração. Dá para corrigir o problema com bisturi.

  3. “Bolas azuis”

    É o nome popular para uma vasocongestão específica. Quando o cara fica excitado, o cérebro aumenta o fluxo sanguíneo no pênis e na região dos testículos. Eles ganham volume, vem a ereção e uma sensação de latejamento prazeroso. O mecanismo que prepara a saída da ejaculação está a postos. Se ela não acontece, essa pressão não extravasa. A musculatura cansa, pode causar “cãibras” e excesso de sensibilidade (aflitiva) ali. Em geral, gozar resolve. Se não rolar no sexo, que seja na masturbação solitária logo depois.

  4. Priaprismo

    É uma ereção longa (mais de duas horas) e involuntária. Quer dizer, mesmo que não tenha excitação ou estímulo sexual ou que o homem já tenha ejaculado. O sangue fica “aprisionado” no corpo do pênis e a falta de oxigênio suficiente pode provocar incômodo e dor. Tem que correr pro médico, que deve indicar sucção do sangue e/ou remédio para contrair os vasos sanguíneos.

  5. Infecções e doenças sexualmente transmissíveis

    Uretrites, herpes genital, cancro mole e DST’s que manifestam lesões e úlceras genitais costumam atrapalhar bastante o prazer. Por motivos óbvios, né? Roçar qualquer ferida é terrível. Tem tratamento médico, por exemplo, com antibióticos. Indispensável usar camisinha!

  6. Alergias, micoses e inflamações

    Causam vermelhidão, coceira e até descamação na região dos genitais (virilha, pênis, testículos, períneo e ânus). Alguém consegue se concentrar? Procure um urologista ou dermatologista – em alguns casos, basta usar pomadas específicas.