Home > Carreiras > Os dados me levaram ao MIT
Carreiras

Os dados me levaram ao MIT

Uma carreira na área de dados abre muitas possibilidades e oportunidades

14.07.2020 - Por Carreiras

Sou atualmente gerente de Planejamento e Performance Comercial na divisão agrícola da Bayer Brasil, onde estou há quatro meses. O início da minha jornada na empresa coincidiu com os primeiros casos de coronavírus em nosso país, enquanto Europa, Ásia e Estados Unidos vivenciavam uma realidade ainda mais severa. Após um mês no novo emprego, começamos o período de home office devido à pandemia.  

Em junho, fiquei sabendo que a Bayer era uma das patrocinadoras oficiais do Hackathon, organizado pelo MIT, o COVID-19 Challenge, um evento virtual de 48 horas, com o intuito de resolver problemas causados pela pandemia na América Latina. De imediato, achei interessante participar, pois além de envolver uma causa nobre que impactava as nossas vidas, possuo MBA em Big Data e Analytics, e fui professor de People Analytics na FIA Business School, mas nunca havia participado de um Hackathon.

Foi um fim de semana intenso, sendo todo o evento e comunicação feitos em inglês. De um total de 4.000 inscritos e, após seleção, 1.500 pessoas de 73 países participaram do evento. Conheci, no primeiro dia, seis pessoas incríveis e motivadas, de diferentes nacionalidades e formações, as quais fizeram parte do meu time. Acabamos vencendo a competição na categoria econômica: "Verificar o uso de fundos para reativar a economia de países da América Latina".

Nossa solução foi um projeto (DataMigo) que envolvia um modelo preditivo, com o uso de diferentes fontes de dados, da analítica do uso de aplicativos de celular, até máquinas de cartão de crédito, para confirmar a credibilidade do empréstimo concedido a pequenos negócios (sejam formais ou informais) nos países da América Latina. Devemos receber uma premiação financeira e suporte técnico para continuar a implementação da solução.

O que tenho a dizer sobre ciência de dados, além de ser considerada uma das profissões mais promissoras no futuro? É que ela pode ser aplicada em qualquer problema ou atividade que você possa imaginar e, definitivamente, uma interessante forma de conhecer pessoas do mundo todo.

Com experiência superior a dez anos no setor químico, no Brasil e exterior, já atuei em setores técnicos (P&D, Segurança e Produção Industrial), gerência de RH e, atualmente, em planejamento comercial e incentivos de vendas na Bayer. Minha formação é em Data Science, com MBA em Big Data & Analytics. Possuo duplo diploma de engenharia química com uma especialização em Desenvolvimento Sustentável e Química Verde. 

Publicado em Carreiras