Home > Ciência & Inovação > O Homem-Aranha e a produção de teia
Ciência & Inovação

O Homem-Aranha e a produção de teia

Desde a infância os super-heróis fazem parte do nosso imaginário. E alguns deles persistem sendo nossos ídolos ainda na fase adulta.

13.11.2019 - Por Paulo Valim

Outro dia eu estava descansando e aproveitei para voltar ao meu jogo de videogame do Homem-Aranha para passar o tempo. Acho que esse sempre foi o meu super-herói preferido, principalmente pela pegada científica que a história dele tem.

Você sabe qual a origem do Homem-Aranha? Um dia o jovem Peter Parker foi mordido por uma aranha radioativa e foi aí que conquistou seus superpoderes para combater o crime. Ele é um personagem que, além de força e agilidade, consegue aderir em praticamente todas as superfícies e disparar teias que o ajudam a ir de um prédio ao outro. Sem esquecer, é claro, do sentido aranha, que permite detectar situações de risco antes que elas aconteçam!

Ok, mas por qual motivo estou falando sobre isso, afinal? Decidi escrever este texto para vocês porque enquanto zerava meu jogo, me peguei pensando: será que é cientificamente possível que um humano tenha os mesmos superpoderes que o Peter Parker? Ficou querendo saber a resposta, né?! Então vem comigo que nós vamos analisar cada um desses poderes!

A adesão às superfícies e a produção de teia

Um artigo publicado em 2006 na revista Nature conta as descobertas de uma equipe de pesquisadores sobre a tarântula-zebra. A Aphonopelma seemanni é nativa da Costa Rica e apresenta glândulas secretoras de seda no abdômen e nas suas patas também.

A seda é eliminada na forma de um fluído viscoso e quando entra em contato com o ambiente solidifica colando-se ao substrato. Os testes realizados pelos cientistas mostraram que a seda permite que estes animais de oito patas consigam aderir a superfícies verticais de vidro durante mais de 20 minutos! Stan Lee não estava tão errado ao dar esse superpoder para Peter Parker.

Novos estudos estão sendo realizados para identificar os genes associados com a produção de seda pelas glândulas fiandeiras das patas. Empresas têm grande interesse em compreender estes mecanismos para - num futuro próximo - produzir fibras com alta resistência e capacidade de adesão. Já pensou se um dia a gente puder comprar sapatos que permitam escalar paredes apenas com a força das nossas pernas?

Além da produção de seda, os cientistas também observaram a presença de pelos nas patas das aranhas. Esses pelos contribuem para a adesão nas superfícies através das forças de Van der Waals (interações fracas entre moléculas da pata do animal e da superfície). Estas mesmas forças são as que permitem as lagartixas escalarem qualquer superfície.

Um ser humano poderia contar com as Forças de Van der Waals se tivesse uma quantidade ENORME de pelos em suas mãos e pés. Cientistas da Universidade de Cambridge estimaram que um humano de 80 kg e 1,80 m de altura teria que ter 40% da sua superfície corporal tomada por pelos, ou seja, as mãos e pés peludos não seriam suficientes.

Ok, mas agora você deve estar se perguntando o seguinte: como nós, humanos, poderíamos produzir a teia? Para que o nosso corpo fosse capaz de produzir essa substância flexível e mais resistente que o aço, nós precisaríamos ter os genes que estão envolvidos na sua produção. E, para isso já temos algumas técnicas da biologia molecular que permitem a manipulação genética dos organismos.

Um grupo de cientistas brasileiros da Embrapa analisou todo o material genético (genoma) de cinco espécies de aranhas nativas. Os genes associados a produção de teia foram identificados e isolados. O próximo passo foi inserir esses genes ao material genético de bactérias. O resultado de tudo isso? Bactérias transgênicas que passaram a produzir as proteínas necessárias para a formação da seda.

O sentido aranha

É agora que eu vou te decepcionar com uma notícia ruim! Os pelos das aranhas permitem detectar vibrações no ar e mudanças de pressão. Mas isso só é possível à curtas distâncias. Então, aquelas cenas em que o alter ego do Peter Parker percebe que algo está errado em algum lugar distante só é possível mesmo nas telas do cinema ou nas páginas das histórias em quadrinho.

Para que o Homem-Aranha tivesse essa capacidade, ele teria que andar pelado por aí, o uniforme ficaria pendurado no armário. Para que os pelos pudessem detectar as mudanças de vibrações e pressão eles precisariam estar em contato com o ambiente.

Mas quem sabe um dia eu tenha sorte e seja picado por uma aranha radioativa que modifique o material genético de todas as minhas células e me torne um ser humano transgênico! Por enquanto, vou guardar a minha fantasia de Homem-Aranha e escolher um novo jogo para relaxar. Qual você me recomenda? ;)

Paulo Valim
Paulo Valim

Ciência & Inovação

Paulo Valim é professor, químico e fundador do canal Química em Ação, que hoje conta com mais de 600 mil inscritos no Youtube. Apaixonado por educação e inovação, tem como missão democratizar o ensino de ciências no Brasil. A opinião expressa nos artigos é de responsabilidade dos colunistas convidados e não correspondem à opinião da Bayer como empresa.