Home > Ciência & Inovação > O futuro verde: a importância da busca por fontes alternativas de energia
Ciência & Inovação

O futuro verde: a importância da busca por fontes alternativas de energia

Você acorda e a primeira coisa que faz ao abrir os olhos é dar aquela conferida nas notificações do celular.

11.02.2020 - Por Paulo Valim

Você acorda e a primeira coisa que faz ao abrir os olhos é dar aquela conferida nas notificações do celular. Senta na cama, coça os olhos e vai tomar banho. Seu chuveiro é elétrico. Depois disso vai para a cozinha passar seu café, coloca a cafeteira na tomada. Aproveita e já liga o seu grill na tomada também para preparar um misto quente (esse, aliás, é meu café da manhã preferido). São 8h da manhã e você entra no seu carro e aciona o portão automático da sua garagem. Percebeu quantas vezes você precisou de energia só nessa primeira hora do seu dia?

Fato é que nós, humanos, nos acostumamos com a facilidade de utilizarmos energia elétrica no nosso cotidiano. E a tendência é que o nosso consumo aumente com o passar do tempo! E por isso, procurar fontes alternativas de energia é essencial! Precisamos otimizar o uso dos recursos naturais para preservarmos o planeta.

Vamos conhecer CINCO fontes alternativas de energia e que podem ganhar destaque no futuro?

A primeira é a ENERGIA GEOTERMAL ou GEOTÉRMICA. Ela é produzida com o calor que vem do interior da Terra.

Quando a gente pensa sobre o interior e o centro da Terra talvez imagine algo como o que foi retratado no livro e filme “Viagem ao Centro da Terra”. Nessa história, o jovem Axel participa de uma expedição em que visita o Centro da Terra e lá encontra todo um ecossistema complexo muito bem desenvolvido. Se você gosta de ficção científica esse filme é para você! Mas o interior da Terra é bem diferente do que a imaginação .

Abaixo da crosta terrestre encontramos o manto e o núcleo e é daí que o calor vem. O manto começa a 700 km de profundidade da superfície terrestre e o núcleo aproximadamente 5 000 km. Mas há partes em que o calor está mais perto da superfície do que outras, o que é essencial para a sua utilização. Há locais com nascentes de águas quentes e outros em que em furos de 100 metros já é possível alcançar uma fonte de calor que pode ser utilizada. Mas na maior parte dos casos, furos de quilômetros de profundidade devem ser feitos.

A energia geotérmica pode ser utilizada para aquecer habitações, estufas, piscinas e as centrais geotérmicas para a produção de energia elétrica de uma maneira que polui pouco o planeta. Há países, como as Filipinas e a Nova Zelândia que utilizam esse tipo de energia para iluminar as casas dos seus cidadãos. No Brasil, a energia geotérmica é utilizada para manter a água aquecida. Se você já foi nos parques termais em Caldas Novas (GO) e Poços de Caldas (MG) já tomou banho em águas esquentadas por energia geotérmica.

A segunda, a ENERGIA MAREMOTRIZ é produzida usando as ondas do mar. A eletricidade pode ser produzida utilizando o movimento das marés e pela diferença entre maré alta e maré baixa. Na Europa, países como França e Rússia utilizam essa fonte de energia. No Brasil, no Ceará, a Usina do Porto do Pecém foi inaugurada em 2012 como um projeto piloto, mas com o passar dos anos foi abandonada. Porém, o Brasil poderia investir mais nessa fonte alternativa. Temos 8 mil quilômetros de litoral que poderiam abrigar usinas de ondas capazes de gerar 87 gigawatts.

Apesar de ser uma fonte de energia renovável e pouco poluente, os equipamentos apresentam um alto custo de instalação e manutenção. E há também a necessidade das instalações serem resistentea às tempestades.

Em terceiro lugar temos a ENERGIA EÓLICA! Quando você era criança já deve ter brincando com cataventos de papel e feito muita força soprando para movimentar as hélices, certo? A energia eólica funciona utilizando “cataventos gigantes”. O Brasil está entre as 10 nações do mundo que mais usam essa fonte renovável, que ganhou destaque por volta de 1970 com a crise do petróleo.

Os parques eólicos apresentam aerogeradores. As pás movimentam-se e a energia é produzida a partir dessa movimentação gerada pelo vento. O potencial eólico brasileiro está localizado principalmente no sudeste, sul e nordeste. Espera-se que no nosso território o uso da energia eólica seja ampliado e que ainda em 2020 possamos gerar cerca de 20 GW.

Essa fonte de energia tem como vantagens reduzir a nossa dependência de combustíveis fósseis e reduzir a emissão de CO2, porém existem desvantagens. A poluição sonora, visual e os impactos sobre a fauna. Para a instalação de parques eólicos é necessário realizar estudos de impacto ambiental e analisar se o local escolhido é rota de aves e morcegos.

A ENERGIA SOLAR é o quarto tipo de fonte renovável e que merece destaque. E o que é mais interessante dessa alternativa é que a sua casa pode ser uma usina solar. Você pode ter placas fotovoltáicas que captam a energia dos raios solares. Para isso dar certo, elas devem ser instaladas nos telhados de construções que se encontram em locais com alta incidência de luz solar.

De toda a energia produzida no território brasileiro, 1,2% é do tipo solar. No Piauí encontra-se a maior fazenda solar da América Latina. Ela conta com 930 mil painéis solares distribuídos em uma área de 690 hectares. O seu potencial energético é de 600GWh, eletricidade suficiente para alimentar 300 mil casas.

O LIXO pode ser fonte de energia também! E isso já apareceu nas telas do cinema. Lembra do filme “De volta para o Futuro”? Nele o cientista Doc Brown conseguiu utilizar lixo como fonte de combustível para a sua máquina do tempo.

O lixo, durante o processo de decomposição, libera o biogás que pode ser convertido em energia elétrica suficiente para suprir 24% da demanda nacional de energia elétrica. Para que o biogás possa ser coletado corretamente, a primeira necessidade é que o aterro sanitário seja construído corretamente e tenha motogeradores. Isso já está sendo feito em uma usina no nordeste, em Jaboatão dos Guararapes, que tem a capacidade de gerar 95 mil megawatts hora de energia limpa por ano. Quantidade suficiente para atender 52 mil pessoas durante um mês.

Alternativas sustentáveis existem e já estão sendo colocadas em prática. Eu, prof. Paulo Valim, gosto da ideia de utilizarmos o lixo para produção de biogás e energia. É uma forma inteligente de aproveitarmos os resíduos que geramos e dessa forma diminuir um pouco o impacto que causamos no planeta Terra.

Agora me conta, qual dessas novas fontes de energia você acha que tem um futuro promissor pela frente?

Fontes:

Paulo Valim
Paulo Valim

Ciência & Inovação

Paulo Valim é professor, químico e fundador do canal Ciência em Ação, que hoje conta com mais de 600 mil inscritos no Youtube. Apaixonado por educação e inovação, tem como missão democratizar o ensino de ciências no Brasil. A opinião expressa nos artigos é de responsabilidade dos colunistas convidados e não correspondem à opinião da Bayer como empresa.