Home > Plural > O consumo consciente de energia elétrica no cotidiano
Plural

O consumo consciente de energia elétrica no cotidiano

Nosso planeta tem a capacidade de se recuperar, porém o nosso ritmo de consumo de recursos naturais e geração de resíduos é maior do que é suportado

14.05.2013 - Por Diversidade

Economizar recursos naturais é papel de cada um. Nosso planeta tem a capacidade de se recuperar, porém o nosso ritmo de consumo de recursos naturais e geração de resíduos é maior do que é suportado, o que torna nosso estilo de vida e consumo insustentáveis no longo prazo.

Em volumes absolutos, o maior responsável pela emissão de poluentes e consumo de recursos é a indústria de transformação, mas isso não significa que não somos individualmente responsáveis pelo impacto que causamos nas atividades do nosso dia a dia.

O primeiro passo pode vir de pequenas ações de consumo consciente de energia elétrica. Essas ações podem ser divididas em três níveis: pessoal, em casa e, em seguida, no trabalho e na escola ou faculdade.

Vamos começar por pequenas ações que nós mesmos podemos controlar em nosso dia a dia: aproveitar a luz solar e evitar acionar luzes em ambientes que poderiam ser naturalmente iluminados; evitar banhos demorados e ajustar a chave de potência do chuveiro para um nível confortável de acordo com a estação do ano; manter os carregadores fora das tomadas; evitar dormir com a TV ligada; entre outras pequenas ações que inclusive refletem em economia financeira.

Em seguida pense como a sua casa pode ser mais eficiente no consumo de energia elétrica: observe a vedação da geladeira, dê preferência para lâmpadas fluorescentes compactas, regule o termostato da geladeira para uma posição conveniente com a quantidade de alimento e evite guardar alimentos quentes – isso aumenta a temperatura interna e, consequentemente, o consumo do equipamento. Outra atitude importante é não posicionar o fogão ao lado do refrigerador, pois isso também interfere na eficiência do eletrodoméstico.

Samuel durante viagem a Alemanha
Samuel (o primeiro à esquerda) durante a
viagem à Alemanha em 2010

Evite a utilização simultânea de aparelhos de televisão, prefira equipamentos com Selo Procel categoria “A”, desligue todas as luzes ao sair de casa ou ao deixar um ambiente, tire os equipamentos da tomada quando sair para longas viagens.

O próximo passo é levar essas dicas para outras pessoas e induzir a mudança a sua volta. Seja na sua escola ou no seu trabalho, repasse as dicas e ensine pelo exemplo!

Na escola e no ambiente de trabalho recomende que desliguem os computadores ou configurem modos de economia de energia, regulem o termostato do ar condicionado para uma temperatura agradável, em torno de 23 e 24 graus, e não muito frio, o que pode causar choques de temperatura e prejudicar inclusive a saúde dos presentes no ambiente.

Recomende a troca das lâmpadas, dê preferência para a iluminação natural e sugira a realização de palestras de conscientização sobre a importância da economia de energia, dessa forma todos os impactados poderão replicar a mudança de comportamento em suas casas, colaborando para um bem individual e coletivo.

Pequenas ações replicadas em grande escala terão um impacto significativo no meio ambiente. Essas ações individuais e em nossas casas irão nos fazer perceber muitas outras formas de economizar. O resultado já será sentido na primeira conta de energia: esse leque de ações pode significar uma redução de até 40% no valor a pagar.

Samuel Gondim Lemos de Oliveira

Samuel Gondim Lemos de Oliveira é Engenheiro de Produção formado pela UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte). Em 2009, fundou a Produtiva Júnior, maior empresa júnior do Rio Grande do Norte, onde foi diretor financeiro por dois anos. Com a experiência, idealizou o Projeto de Compensação Ambiental 2008.Zero, vencedor do Prêmio Bayer Jovens Embaixadores Ambientais em 2010. Para falar com ele, escreva para samuelgondim@sgssolucoes.com.br.