Home > Meu Trabalho na Bayer > Como é o dia a dia de um especialista em insetos?
Meu Trabalho na Bayer

Como é o dia a dia de um especialista em insetos?

Minha história na Bayer começa em junho de 2012

26.05.2020 - Por Meu Trabalho na Bayer

Minha história na Bayer começa em junho de 2012. Após 12 anos na universidade cursando graduação, mestrado e doutorado, uma semana antes da minha defesa de tese recebi a notícia de que seria contratado. Até então, havia me preparado para a carreira acadêmica e, por ter trabalhado durante toda minha formação com controle biológico, não via muitas possibilidades nas grandes empresas que não atuavam diretamente nesse ramo.

Ledo engano. A companhia precisava de um profissional que tivesse experiência em criação de insetos e pudesse coordenar ensaios em entomologia (ramo da zoologia que estuda os insetos). Felizmente, tive essa vivência em minha jornada acadêmica, mas logo ficou claro que haveria muitos desafios além dos técnicos.

De 2012 até 2020, laboratórios foram reformados, outros fechados e uma grande estrutura construída. Atualmente, contamos com mais de 1.000m2 de alta tecnologia em produção de insetos e ensaios. Cada pessoa que passou pelo time contribuiu para que chegássemos ao ponto que estamos hoje e, sem exceção, pude aprender muito com todos.

Atualmente, meu dia a dia é focado na gestão de pessoas, criação de insetos de diferentes grupos, monitoramento de populações de campo, ensaios com milho e soja em casa de vegetação, desenvolvimento de equipamentos para automação em criação de insetos, gestão de dados em diferentes ferramentas e suporte ao negócio por meio de treinamentos e palestras.

Apesar de estar a maior parte do tempo na estação de Santa Cruz das Palmeiras (SP), tenho a oportunidade de contribuir com treinamentos de identificação de pragas e boas práticas de manejo. Nesses treinamentos, já atendemos agricultores, funcionários, estudantes e profissionais que atuam no campo com nossos clientes. Como time, já treinamos mais de 7.000 pessoas de Sinop (MT) a Não-Me-Toque (RS), abordando pragas de milho, soja, algodão e hortifruti.

Lá em 2012, jamais poderia imaginar o quanto além da entomologia a minha jornada na Bayer me levaria. Trabalhar nesta empresa me ensinou muito, não apenas sobre ciências, processos, agilidade e resiliência em momentos de incerteza, mas, principalmente, sobre pessoas e o quanto elas são fundamentais em tudo que conquistamos como indivíduos e como empresa.  

Bruno Conti

Bruno Conti é engenheiro agrônomo, mestre e doutor em Ciências/ Entomologia, com MBA em Gestão de Negócios.