Home > Plural > 10 lições que aprendi sobre sexualidade, relacionamentos e autoestima
Plural

10 lições que aprendi sobre sexualidade, relacionamentos e autoestima

Quais conselhos eu daria para mim mesma se, há 20 anos, tivesse o conhecimento que tenho hoje?

24.07.2019 - Por Diversidade

Aos 43 anos de idade, 15 deles trabalhando com sexualidade, relacionamentos e autoestima, acho que posso dizer que tenho algo a ensinar. Há cerca de cinco anos criei o movimento Mulheres Bem Resolvidas, que é hoje a maior plataforma online do mundo sobre esses temas. Atualmente impactamos mensalmente mais de 10 milhões de pessoas e só no canal no Youtube são mais de 4,4 milhões de inscritos e quase 300 milhões de visualizações.

Mas afinal, como se constrói esse caminho com a gente mesma? O Bayer Jovens me fez um desafio diferente: além de falar sobre empoderamento, quais seriam as 10 lições que aprendi ao longo dessa trajetória e que ensinaria a Cátia de 20 anos atrás? Foi um momento muito gostoso parar para refletir o que eu gostaria de saber quando ainda era uma jovem de 23 anos e espero que ajude vocês também.

AUTOESTIMA

  • Focar nas virtudes: todo mundo tem defeitos, mas também muitas qualidades. E na maioria das vezes, esquecemos disso e colocamos uma lente de aumento apenas no que não temos de bom. Reconhecer as virtudes e focar no desenvolvimento delas faz com que a gente passe a se enxergar com um olhar muito mais carinhoso e positivo.
  • Dar menos ouvido à opinião do outro: a opinião dos outros é só isso mesmo, a opinião dos outros e não o que você é de fato. O que as pessoas pensam e falam de negativo sobre a gente não deve interferir nas nossas escolhas. Leve em consideração o que é bom e use para se desenvolver, ser melhor. Muitas vezes as pessoas criticam simplesmente porque não tem algo de útil para nos dizer.
  • Se perdoar: A cobrança que colocamos em nós mesmos pode ser muito mais cruel do que a que vem de fora. Se permitir errar e se perdoar por isso é uma lição que daria muito a mim mesma porque os erros são humanos e vão acontecer com todos nós ao longo da vida.

SEXUALIDADE

  • Usar camisinha sempre: o respeito pela gente mesmo vem sempre em primeiro lugar. Curtir, descobrir, experimentar, mas jamais colocar a saúde em risco, por nada nem ninguém. Aliás, acho que essa lição eu sempre levei comigo e é algo que me deixa muito orgulhosa quando para pensar.
  • Permitir-se: ficar se travando na cama por medo do que vão pensar não leva a lugar nenhum e quando passei a experimentar - acertando e errando – me senti uma mulher muito mais completa. Sendo consentido pelos envolvidos, no sexo pode tudo e quando entendi isso foi libertador.
  • Fingir jamais: jamais mentir se algo não agradar você. E isso vai desde a orgasmos até qualquer outra situação na vida. Conversar, ter sinceridade e jamais mentir apenas para agradar ao outro.

RELACIONAMENTOS

  • Diálogo: em todos os relacionamentos, o mais difícil é conversar sobre ele (a famosa DR). Em contrapartida é a base fundamental para que tudo dê certo. Por isso, buscar construir essa ponte em que ambos os lados tenham a liberdade de poder conversar e se abrir me fez construir relacionamentos muito melhores.
  • Jamais se colocar em segundo lugar: nós somos a pessoa mais importante de qualquer relacionamento, jamais devemos nos subjugar. As pessoas passam, mudam, crescem, morrem e a única pessoa que teremos que conviver para o resto da vida, bem de pertinho, somos nós mesmos.
  • Saber fazer acordos: relacionamentos – amorosos ou não – são a arte do acordo. Os acordos devem ser feitos e cumpridos pelos dois e é preciso negociar, relacionamento envolve sim, muitas vezes, abrir mão de algumas coisas sem que isso seja uma sofrimento, já que é uma doação que tem via de mão dupla.
  • Saber dizer não: tenho como mantra que quando digo não para o mundo estou dizendo sim pra você mesma. Saber dizer não é respeitar os seus próprios limites e mostrar ao outro que ele também deve te respeitar.

Fazendo esse retrospecto vejo que cada etapa da nossa vida vai nos ensinando, principalmente quando erramos. É clichê, mas é verdade. Por isso, olhar e ouvir a nós mesmos, de dentro pra fora, pode ser a chave para começar a construir essa ponte com você mesmo.

Catia Damasceno

Catia Damasceno é formada em Fisioterapia com especialização em Uroginecologia e especialista em sexualidade e relacionamentos. É criadora do Mulheres Bem Resolvidas, plataforma online que impacta mais de 10 milhões de pessoas por mês.